segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Não precisa ser perfeito.

 Eu queria poder um dia amar, queria alguém que me ame de verdade, que faça loucuras por mim, que me fizesse rir só por me fazer olhar em seus olhos, que tornasse a minha vida uma eterna comédia romântica. Eu poderia esperar por anos, que fosse uma eternidade se precisar para poder viver em um só momento que for, alguma coisa verdadeira. 
 Não precisaria ser a pessoa mais inteligente do mundo, nem a mais bonita. Não precisa ser como os caras maravilhosos dos filmes, bastaria ser metade deles, por dentro. Não teria que ser super forte e do tipo "corajoso", mas ser tão gentil a ponto de ter um super-herói dentro de si. Ou um vilão, quem sabe. Eu não exigiria que estivesse de bom humor todos os dias, mas que me confortasse quando eu precisar. Não me interessa se fosse alto ou baixo de mais, eu só queria um coração que fosse do tamanho do mundo. 
 Nem me importaria se fosse chato ou um pouco arrogante, desde que me deixasse rir da cara de bravo... Queria que lesse a minha história e não conseguisse parar mais, que olhasse as estrelas junto comigo, que não tivesse vergonha de ser romântico mesmo sendo um fracasso total.
 Para falar a verdade, tudo o que eu descrevi é apenas ilusão. Sonhos que nunca, passarão de sonhos.
 Eu não tenho preferências físicas ou de numeros, pois não está faltando homem no mundo. Está faltando amor.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Qualidade supera

A frustração pelo o que as pessoas me causam me deixam com nó no estômago. Devo estar tão vazia por dentro que elas nem me veem mais, ou tem tantas coisas mais importantes para fazer que preferem fingir que eu não existo. Já não dou importância para as palavras sem sentido que saem dessa boca, pois sou madura o bastante para não ligar. Promessas e consolos entram por um ouvido e saem pelo outro, palavras como: "eu vou estar sempre com você" "eu te amo muito" "sempre que precisar" são só dividas não pagas, palavras jogadas ao vento. As pessoas escrevem coisas bonitas a todo momento, para que quando você as leia acredite que são sinceras, porém na maioria das vezes esquecem o que elas próprias escreveram, e quando chega a hora de cumprir o que prometeram ou apenas fazer metade do que disseram, te olham com olhar de desdém como se dissessem: "você não achou mesmo que fosse verdade não é?".
A gente se ilude com conversas diárias e risadas atoa, com abraços e alguma ajudinha por ai, mas se esquece que pessoas sinceras e leais são raríssimas e até mesmo nós que julgamos tanto a falsidade já mentimos alguma vez na vida. Ninguém confia inteiramente em alguém, pois a maioria não confia nem em sim mesmo. Esperamos que todos sejam amigos, mas se esquivamos quando o problema não é nosso. Confiamos primeiramente em uma carinha bonita que acabou de chegar, do que em seu amigo que esteve ao seu lado o tempo todo.
"Eu vou colocar o que eu sinto, e cada um vai colocar o que sente." Só depende de você.
Descobri que não precisa ter segredo nenhum, regra nenhuma. O ferro e o imã, é assim que funciona. O ferro não precisa ser bonito, só precisa ter qualidade.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O inesperado .

 Eu gosto de coisas inesperadas.Não importa se for um gesto, uma palavra ou qualquer outra coisa que for, eu gosto desse sentimento de surpresa. Essa sensação de felicidade que irracionalmente puxa nossos lábios na forma de um sorriso e faz nossos olhos brilharem.
 Me faz bem essa emoção, pois nos pega de surpresa nos momentos em que mais precisamos, estamos inseguros e nos fazem voltar à realidade. Nos mostram cada vez mais que aquelas incertezas são bobas e que as pessoas nos amam apesar de tudo.
 Aquele telefonema, ou aquele abraço apertado que nunca passou pela nossa cabeça pelo simples fato de se lembrar que a vida é curta e temos que aproveitar. Pela saudade ou pela mera vontade ou realidade de ser imprevisível.
 A aprovação por um trabalho que fluiu, o reconhecimento de uma arte que aprendeu, o orgulho estampado nos olhos de alegria traduzindo um esforço que valeu a pena.
 Eu não vou deixar que tudo seja em vão, sei que vou me surpreender ou desejo tanto isso que prefiro acreditar. Fico na espectativa misturada com um pouco de medo, imaginando se todo o meu esforço valeu a pena e esperando, para assistir um filme imprevisível de todos os meus sonhos e realizações.
 Sem perceber tudo isso acaba e daí só temos que colher o que plantamos. O coração pulsa ao pensar na surpresa que virá e como todo inesperado só nos resta viver e esperar em baixo da árvore, os nossos frutos amadurecerem para desfrutar desse maravilhoso prazer.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Meus Balões *

Você não entende? Nada me prende aqui. Nenhuma pessoa, nenhum objeto, nenhum lugar, nada especial.
É só compararmos tudo a balões. Aqueles balões coloridos que enfeitam o céu e encantam os olhos de criança.
 Eu estava em uma "constelação de balões", estava ligada a eles por várias cordas e um homem, uma mão. Todos éramos iguais, um completava o outro com as diferentes tonalidades de cores. Mas então eu fui comprada.
 Um garotinho me comprou e me separou de todos, de tudo o que fazia parte de mim.
 De uma certa forma eu estava ligada ao garotinho pois ele, como o homem, segurava ao meu cordão porém eu não era parte dele. Com ele eu era só mais um balão, com uma cor sem graça. Só mais um balão qualquer.
 Com a minha deslumbrante constelação de balões, o mundo ficava colorido porque a nossa felicidade o coloria. E é assim, mais nada.
Só que no meu caso, as pessoas da minha história na verdade são escolas. Os balões são personagens importantes e eu, bem, eu continuo sendo eu mesma. Agora, sendo o balão sem graça e sem importancia de um fim de festa.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Preferências .

  Ouvindo o canto dos pássaros, sentindo o ar fresco batendo em meu rosto, olho em volta e consigo ficar em plena nirvana enquanto não muito longe daqui o mundo está na loucura constante de transformação. 
  Não sei como consigo ficar tão pacífica, quando sinto um peso em minha cabeça que é como se estivesse forçando as lágrimas explodirem, o que já não causa nenhuma reação, sendo um fato cotidiano.
  Me torno egoísta pensando só em mim e priorizando coisas ao invés de pessoas, porém em uma repescagem de pensamentos mudo de idéia e percebo que as coisas não traem, não mentem, não nos enganam e se despertam algum tipo de sentimento, não nos ignoram e machucam como se nós, fossemos o objeto. Compreendo agora essa preferência por cachorros.
  Animais não precisam de promessas; Coisas materiais, dinheiro, beleza, sabedoria, educação, raça, crença, cor, livro ou cor preferida não interessam. Eles não precisam ficar sabendo da sua vida inteira, mas se você contar, eles serão os seus melhores ouvintes e os únicos, que te olharão com olhar de compreensão. 
 Se você ficar bravo por qualquer motivo ele pode até rosnar, mas garanto que não guardará nenhuma mágua e se dois minutos depois você balançar a coleira para passear, ele vai vir sem exitar pulando de tanta felicidade para brincar.
 Dou preferência a cachorros, ao céu, ao sol, ao mar... Ao meu travesseiro, a minha caneta e ao meu papel, que não importa o que aconteça ou o que eu faça, eles estarão aqui.
 Posso parecer egoísta, mas as vezes é muito mais saudável substituir pessoas por objetos e animais; antes que elas substituam você.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Desconhecidos .

 Não me julgue pelo que pareço ser. Não me julgue pelos meus atos pois podem ser inconsequentes, não me julgue pelas minhas palavras pois podem ser irreverentes, não me julgue pelo o que penso, eu me excedo de vez em quando, não me julgue pelas pessoas que ando pois não importa, o pé continua meu. Não julgue os caminhos que sigo, prefiro margaridas à rosas no meu canteiro. Não me julgue pelas músicas que ouço, tenhos motivos desconhecidos. Não me julgue pelo que como pois não sou uma coxinha. Não me julgue pelo meu modo de vestir pois eu pego o que eu vejo primeiro na maioria das vezes. Não me julgue pelo modo de andar pois sou como o vento, posso ser forte como uma ventania ou leve como uma brisa, depende de como, quando e onde você me vê passar.
 Não ache que sabe tudo sobre mim pois nem eu às vezes, sei qual vai ser a próxima página da minha história. Não diga que me conhece, só por saber meu nome. Não pense que é melhor que alguém, só por ter a capacidade de julgar.
 Conheça um pouco de tudo, nem que seja por curiosidade. Deixe o preconceito de lado e olhe no fundo dos olhos de alguém pelo menos uma vez ao dia. Se conheça, antes de qualquer coisa.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Chegou ao estágio de ibernação ~

 Não pelo prazer, nem pela necessidade, mas para fugir dos meus medos e incertezas. Quando fico assim, perdida e sem direção, sem saber quem está comigo ou sem saber como são os que estão comigo, sem saber onde piso e quem estará do meu lado para me ajudar, eu durmo. A coisa mais fácil e eficaz para fugir de qualquer problema.
 Antes os livros eram suficientes para me distrair, as histórias e os contos de fada já eram suficientes para me distanciar da realidade e me levar para um lugar qualquer, sem problema algum. Os problemas de antes eram mais fáceis de resolver, geralmente eram sempre os mesmos, então não tinha muita coisa para se fazer.
 Agora os problemas são mais complicados, pode-se até dividir em categorias, alguns tão complicados que chegam a não ter solução, então os livros já não são suficientes para dispersar minha atenção e me fazer sentir melhor, pois quanto mais penso e tento resolver a minha vida chamada problema ou o meu problema chamado vida, não sei, percebo que é mais fácil não pensar.
 No ato de fechar os olhos e sonhar, deixo a minha mente à deriva e não preciso me conformar que poderia ser pior. No entanto, ainda não descobri nada que possa substituir o conforto, o abraço e o colo de um amigo.
 Quando eu encontrar, o que eu acho praticamente impossível, eu te conto. ;S

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Insonia

   
 O dia está claro e tranquilo, o sol quase não saiu e ouço os passarinhos cantarem.
 Deitada na cama a essa hora da manhã, sem sono, me pego sorrindo e minha mente focaliza em alguém, então percebo que ainda tenho um coração aqui dentro de mim.
 As batidas, parece que perceberam que eu estava prestando atenção nelas e foram ficando cada vez mais rápidas e fortes. Um trabalho cansativo e repetivo, o mais importante trabalho do mundo. Eu ainda não consigo entender como nosso coração é um órgão irracional.
 Meu peito dói ao lembrar você, acho que é muito peso e dor para um só coração,  não sei o motivo. Porém sei que você está dentro de mim e isso já é o bastante para eu me sentir melhor, mesmo contra a minha vontade.

Deveres .


O meu problema é ter medo do futuro. É ter medo do mundo.  É ser covarde e não ter coragem para enfrentar os desafios que a vida me dá. Me sentir inferior me esmaga por dentro e estar aqui também. É como se fosse uma morte lenta e dolorosa, como em uma câmara de gás.
 Roubaram o meu lar, motivo simples de mudar a minha vida por completo; Roubaram o meu chão, por isso estou perdida e sem rumo. Sonhos e conquistas a serem alcançados e eu sem poder me mover, receosa pelo resultado das minhas ações.
 Não percebi quando morri, só sei que não sou mais eu. Posso ter desaparecido com o tempo e por causa das circunstâncias, ou talvez, eu acordei um dia já sem alma, sem essência, inteligência.
 A decadência me atinge da mesma maneira que The End me atingia, frio e ríspido. A partir de agora, existem muito mais coisas para temer do que somente o fim. 
 No entanto, tenho que me manter firme perante os obtáculos da vida e me superar a cada dia, pois o meu futuro é só eu quem faço. Guardo em um lugar secreto no fundo do meu peito os sonhos e realizações, pois olho no espelho e vejo, a única pessoa que poderá conquistar tudo isso por mim e me fará feliz.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Proibida #

Hoje eu precisava de um tempo, hoje eu precisava ser feliz. Eu só precisava de uma música que me alegrasse, de um tempo para pensar. Necessitava de um abraço, ainda mais de uma companhia amiga. Ver você, era o que eu mais queria.
 Vontade imensa de chorar, esse barulho incansável. Não aguento mais ouvir sua voz, dizendo essas coisas sem sentido.
 Meu olhar parado, minhas idéias fluindo junto com um sorriso, pois as palavras dançam em minha mente e isso é engraçado para você.
 Tempo de felicidade abstrata, fantasiada de tristeza e solidão em um só personagem. Não tente me ensinar a viver, a vida sou eu quem vivo. Isso é só uma prova de fogo, que com o tempo não será mais nada, mas que no futuro pode me prejudicar. O medo das consequências dos meus atos me paralizam, mas no fundo sei que é só uma fase.
 Quero poder ser humano, quero poder sentir, viver, falar e me expressar por um olhar, pois deve ser tão bom ser feliz... 
 MAs parece que eu estou em um campo de concentração e a minha obrigação se fixa em trabalhar, trabalhar e trabalhar. Parece que eu sou proibida de querer ser humano.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Estrada

 Andando pela estrada com o meu violão, vou vivendo. Saio por aí, cantando a minha música, para quem quiser ouvir, para quem quiser seguir o mesmo caminho que eu. Canto do meu jeito e me sinto mais leve, deixo a minha energia positiva no ar com as vibrações da minha voz. A sinapse provocada em seu corpo, é uma sensação boa e viciosa.
 Com meu sorriso maroto, minha pele bronzeada e minha prancha debaixo do braço, faço amigos por onde passo.
 Ouvindo aquela melodia de fundo que sempre me surpreende, aquelas montanhas verdes e o cheiro de ar puro... O céu, o sol beijando o mar, a areia em meus pés e as composições em minha cabeça, meu cachorro do lado me fazendo companhia como ninguém poderia fazer, me sinto feliz! A lua, as estrelas, a música, a calma, tudo o que eu sempre quis.
 Símbolo da paz, símbolo do amor, platação de sorrisos na areia, com pessoas reais, que me surpreendem a cada dia que passa. 
 Volto a ver o mundo como uma criança depois de uma vida inteira. Viagens, amizades, borboletas e flores, família e amores. E depois de ter passado por tudo isso, sentado aqui relembro dos erros e enganos, porém das lições que as ondas da vida me ensinaram.
 Olho ao redor, vejo a vida e o mundo em volta, a grande família, a paz que eu sempre busquei e penso: Eu faria tudo outra vez.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Diferenças ≠

Eu gosto da lua, eu gosto do claro. Gosto das coisas nítidas e do expressionismo.  Gosto de olhar para o céu o dia inteiro, eu amo olhar as estralas. Sou amiga do silêncio, contudo não vivo sem música. Gosto da brisa, do calor e do vento. Considero o livro uma ótima companhia, mas não dispenso um abraço apertado. Meu refúgio são as letras, a fantasia e as folhas de papel, mas não troco o mundo real por nada. Amo coisas que me acalmam e as que me dão vontade de dançar. Choro com filmes de amor, sou mais forte do que posso imaginar. Sinto saudade, faço falta. Queria morar sozinha, não me imagino sem minha família por perto. Me sinto distante, lembro dos velhos e bons amigos. Eu gosto de qualquer música que eu considere boa, que me faça sentir vontade de ouvir, cantar, sonhar... 
 Me pedem vários conselhos de moda, só que mal sabem que jamais trocaria nesse mundo meu chinelo havaianas. Vivo andando por aí descalça, mas também vivo roubando o chinelo dos outros. 
Sorrisos me cativam, olhares também. 
Estressada, boazinha até de mais. Posso ser insuportável, mas sou a única que te ouvirá com atenção quando precisar. Eu não te apoiarei em tudo e nem estarei de bom humor todo dia, mas garanto que farei seu dia muito melhor com a minha simples maneira de ver o mundo.

domingo, 8 de agosto de 2010

✧ Feiticeiros

 O que há de errado comigo? O que foi que eu fiz? Será que eu tenho algum problema genético que afasta as pessoas? Por que toda vez que eu me sinto bem com alguém, essa pessoa me deixa quando eu mais preciso dela?
 O ser humano é um bicho do qual não deveriamos amar, o problema é que eles tem o dom de nos seduzir com sua forma de falar. Um canto para os nossos ouvidos que nos puxam e nos infeitiçam. Gestos que nos deixam tontos e irracionais.
 Nos atraem oferecendo amizade e quando menos esperamos, nos deixam em um mar fundo e perverso de emoções.
 Bichos traiçoeiros que até podem nos enganar, mas que as vezes nos deixamos ser enganados para nos sentir melhor e seguros em seus braços, fugindo da tristeza.
 Sua melodia é o som de seu sorriso,  seu gesto mais intenso é o abraço apertado.
 Cada um com sua forma de viver e pensar, nos ensinam maravilhas com o poder de sonhar.
 Pouco tempo, sentimento instável. Mas o bastante para fazer nossas lágrimas derramarem e transbordarmos sentimentos.
 Lições de vida, pequenas histórias. Corações bons, ou não.
 O nosso problema, é que todos somos simplismente humanos e nos deixamos levar por emoções. Nosso mestre é o coração e não o cérebro, cujo qual devereria ser. E somos tontos ao pensar, que jamais sentiremos nada por algo ou alguém.
 Porque o ser humano pode ser um bicho muito ignorante, mas ele sabe cativar. E quando menos esperamos, já amamos ele de alguma forma. O resultado do seu feitiço sobre nós, nos deixando incapacitados de esquece-los.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Aprendiz


 O mundo gira, o tempo passa, a gente cresce e vai aprendendo com a vida como as pessoas são.   
 Começamos a entender situações, das quais desejamos não ter entendido e passamos por coisas que não esperávamos passar um dia.
 Ser criança era tão mais fácil, quando as nossas únicas preocupações eram se iamos ganhar um bom presente de natal, ou se nossos pais iam brincar com a gente quando eles chegassem.
 Frutos maduros tornam-se e as vezes não tão maduros assim, mas a árvore da vida já considera que estamos preparados para enfrentar o baque que é a realidade. Caimos de uma altura significante e assim entendemos como a vida funciona.
 E o coração cai dessa mesma altura, e fica com as sequelas do choque. Só que ao invés das pessoas tirarem aquele pequeno pedaço que já não está bom e comerem, não. Elas jogam o nosso coração na primeira lata de lixo que encontram. Afinal, o nosso coração não é comestível. E elas não podem mudá-lo, nem deixa-lo melhor, apenas mudando o tempero.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Feliz dia do amigo.

É incrível como apenas simples palavras podem ser significativas para as pessoas, incrível como gestos podem nos arrancar sorrisos e lágrimas também.
Pessoas que nem sempre são importantes para nós, que jamais imaginaríamos que se importariam com o que pensamos, conseguem enxergar os mais profundos dos nossos sentimentos. Que conseguem entender, o que muitos acham banal.
 São gestos, olhares, palavras, e principalmente sorrisos que nos ganham e nos perdem em fração de segundos. 
 Convivencia de uma vida inteira ou momentos tão rápidos como anos-luz, que deixam nosso coração mais leve. 
 São coisas, pessoas, objetos, são lugares, que nos trazem a felicidade. Especialmente quando amamos tudo aquilo. 
 Ver as nuvens, contar estrelas, madrugar, rir dos erros, compartilhar segredos, apoiar, mostrar o caminho certo, sem medo de ser feliz.
 Lágrimas de emoção escorrem pela face da garota ao saber que não está sozinha. De saudade quando tem que dizer adeus. Lágrimas das lembranças vividas. Lágrimas ao perceber que tudo o que te fazia bem acabou. Lágrimas ao saber, que mesmo sendo a pior pessoa do mundo, em algum lugar, vai encontrar alguém que a ama. E te aceita como é. 
 Quem um dia disse que não precisamos de amigos para ser feliz, merece um troféu. O troféu da pior pessoa, com o pior comentário possivel.
 Não me importo com a arrogância das minhas palavras, esse só é o resultado que a falta de um amigo me faz.
 Feliz dia do amigo para você. E aproveite cada segundo, que você tem ao lado dele. Porque você nunca sabe, quanto tempo tem.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Saudade

 Aquele dia estava frio, o céu estava cinza e chovia muito. Foi um dia de férias como qualquer outro apesar de eu estar me sentindo estranha. Eu não sabia o que era, a minha única certeza era que eu nunca tinha sentido aquilo com tanta intensidade como agora.
 Liguei o computador e me arrependi. A internet é a espécie de máscara mais usada no mundo e eu estava cansada de toda aquela falsidade. 

 Eu tinha repugnância de falsidade, solidão e da mente humana. Me deixava horrorizada só de pensar que alguém poderia se aproximar de mim por algum interesse. O ser humano é um animal cruel.
 Foi então que uma pessoa fez o meu dia mudar de tom, mudar de rumo.  Um amigo que há muito tempo eu não conversava, nem via, veio falar comigo. Estranhei a princípio, mas logo as lembranças nos inundaram e começamos a lembrar dos momentos que nós passávamos, das horas perdidas cantando músicas mais velhas do que nós mesmos, dos tempos das poesias de amor que fazíamos por fazer e que ainda guardo comigo, das risadas sem motivo, dos momentos de preocupação um com o outro, dos lanches divididos, das coisas mais banais, e da felicidade. 

 Felicidade aquela que nem sabíamos que existia e jogávamos fora como uma coisa qualquer e desfrutávamos sem cerimônia. 
 Dizíamos tchau como se nao significasse nada, e no fundo nem dávamos valor a grande amizade que a gente possuía em nossas mãos. 
 Até que um dia, o tchau se tornou adeus. E  naquela manhã eu levantei, e já não pude mais vê-lo como fazia todos os dias. Ele já não estava na minha rotina. As risadas e a felicidade eu deixei naquele mesmo lugar, onde meu grande amigo se encontrava. Um lugar que eu nem poderia voltar para buscar o que eu havia esquecido, pois um vez do portão para fora, aquele lugar se tornava perigoso.
 E foi naquele momento em que eu percebi, que o que eu sentia o tempo todo era um vazio profundo chamado, saudade.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Inseto

  Me invade uma vontade de mudar. A imagem que eu vejo no espelho já não me agrada mais e até quando eu vou ficar me achando um monstro? 
 O aperto no peito, a imagem na mente que me fazem lembrar você. A ficção misturada com a realidade que distribui um aroma em tudo e me fazem sustentar o teu olhar, porém em uma fração de segundos eu o desvio lembrando que o meu melhor, não é o bastante para você.
 Não sinto mais fome e o que me alimenta agora são os meus livros e contos de fada, cujos são mais confortáveis, pois na ficção tudo é possível. Eu fujo de realidades que não me agradam tanto e quem me dera se eu fosse capaz de fazer uma história que prendesse o leitor, assim como eu gostaria de prender você.
 Um inseto diante dos pés de um humano, é como essa coisa que pulsa e expulsa sangue, aqui dentro de mim se sente diante de ti.
  O mundo em uma revira-volta e meu estômago também, gritando por uma vida com mais emoção. 
 Alguém está afim de me levar para o Hopi Hari? Acho que essa, é a única maneira. Por enquanto.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Fugitiva

Vontade de ir embora, a vontade de gritar. Poder falar para o mundo inteiro que eu odeio ser atormentada sem nenhum motivo racional. Mas sem ser grossa e inconveniente, isso é impossivel. A "vergonha" de dizer obrigada me torna uma pessoa ruim. E não ouvir tudo o que me incomoda quieta também. As vezes o meu jeito de expressar o que acontece dentro de mim não é o que você espera que eu faça, ou o que você considera normal. De vez em quando, as palavras vão fazer alguma viagem para algum lugar, ou simplesmente fogem de mim como se lembrassem de algo muito importante no exato momento eu que eu preciso delas. E eu fico muda e sem reação alguma, simplismente agindo e esperando que alguém, ou você, quebre o silencio que há entre nós. Pode ser no momento em que você mais precise ouvir alguma coisa vinda de mim, eu juro que a culpa não é minha, foram as palavras que fugiram. Mas eu sei que mesmo o mundo inteiro me odiando pela minha maneira estranha de ser, a única coisa pela qual eu busco é a minha paz de espírito. E assim trazer a paz para todos que estão em minha volta. Espero que alguém em algum lugar do mundo, pense igual a mim.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Intruso

 Sentimento estranho e ridículo que está dentro de mim. Seria hipocrisia ou apenas uma coisa sem razão? Odeio acordar e perceber que você ainda não foi embora. Te olhar sem parar e não conseguir negar um sorriso.  Odeio esse seu sorriso bobo e a sua forma de ver as coisas. Odeio as músicas que você ouve e a forma como você fala. 
 Odeio você, porque se você não existisse eu não me sentiria assim. Odeio saber que sou fraca e não consigo controlar meu orgãos. Meu coração bate muito forte e eu não consigo te ouvir! Minha respiração acelera e eu não consigo esconder. Será que pra eu conseguir disso me livrar, eu vou ter que ficar longe de você? 
  Por enquanto é a melhor opção, até eu conseguir meu auto-controle. Os botões da televisão estão quebrados e o controle eu esqueci em algum lugar. Vou ter que me programar, até meu canal conseguir mudar. E a única coisa que passará na minha mente, não será mais você.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

O mundo dá voltas ~

E quando você não me amar mais, eu vou entender. Eu vou me acostumar com a sequência dos fatos. Você já não é aquela mesma pessoa que eu conheci, e que me conquistou pelo seu jeito de ser. O seu sorriso mudou e os seus atos também.
 Com o tempo os sentimentos se tornaram outros e a gente foi se acostumando com isso. O choque elétrico foi inevitável, mas é melhor deixar que isso passe.
 A sua maneira de agir, falar, e fazer algumas coisas as vezes me irrita, mas eu não consigo levar em consideração pelo simples fato de te amar. 
 Eu sou tão idiota, que fantasio seu amor com a esperança que um dia você volte a gostar de mim. Como eu acho que você já gostou um dia. Mas enquanto você não percebe que eu sofro sentindo a sua falta, eu fico em silêncio. Esperando você acordar sorrindo e dizer, que me ama outra vez.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Expulso ✘

Por que eu estou assim? Com uma vontade de chorar de repente e sem motivos?
 Será que é a culpa por sentir uma coisa que eu não posso? Ou é o peso do coração que não cabe mais dentro do peito?
 Uma coisa que eu não quero, mas não consigo mandar embora daqui. Algo impossivel, mas meu coração me trai toda vez, encontrando possibilidades.
 Se meu coração continuar batendo rápido e forte assim, não conseguirei me concentrar em minhas palavras e elas sairão pela minha boca mais incoerentes do que já são quando estou perto de você. Tenho medo que você ouça o batuque forte ou que meus olhos me traiam. Brilhando a cada vez que te vê.
  Luto contra mim mesma, esperando que tudo na vida seja só uma fase. Penso assim, para me livrar desses pensamentos que me cercam e ter outra coisa para pensar. Porque se você não sair da minha cabeça e de mim, vou ter que te expulsar de alguma forma. E aí, eu não sei o que vai acontecer comigo. Muito menos com a minha parte interna e invisível aos olhos.

domingo, 6 de junho de 2010

Obrigação #

 - Ah, qual é? Para com essa história de: "Faça um texto descritivo, um narrativo, um dissertativo". Ninguém merece, né ?
 Os melhores textos vem do nada com, as vezes, apenas uma frase. Não adianta querer nos obrigar a escrever um texto que a gente não quer. Na verdade, não nos obrigue a fazer nada que nós não queremos.
 - Podemos no mínimo, deixar a nossa imaginação fluir sobre o que quizermos?
 "Não!"
 A resposta é sempre não, não e não!
 - Então eu vou ler a saga Crepúsculo. 
 "Não, você não pode ler a saga Crespúsculo. Você tem que ler a poesia do fulano de tal"
 - Mas eu não gosto. Não é o meu tipo de leitura...
 - Blá blá blá blá
 Mas que saco! Parem de querer nos obrigar a fazer coisas que não queremos! Até ler e escrever pra quem não gosta é um martírio, imagine tendo um tal de tema a qual seguir...
 Pensem em nós adolescentes uma vez na vida e percebam, que quando fazemos por obrigação só fazemos, dando o mínimo de nós. Só fazemos para não ter que ouvir vocês dizerem que não fizemos.
 E sim. Escola é um saco, as vezes.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Diga que me odeia

 Eu prefiro que você diga que me odeia, que eu sou ridícula e que é pra eu sumir da sua frente. As palavras serão mais verdadeiras pelo menos...
 Gosto de me sentir insegura, e uma patinha feia. Porque é bem mais confortável. Os feios e chatos não têm que sorrir para ninguém "obrigatoriamente".
 As garotas que são muito bonitas ficam convencidas, e as que não se acham lá grande coisa são mais divertidas e legais. É. 
 As vezes, insegurança pode ser boa. Foi isso o que eu aprendi com essa mudança de planos.
 Então não jogue na minha cara que eu sou a garota mais bonita que você já viu. Eu estou cansada da minha única qualidade para as pessoas é ser bonita. Porque garotas bonitas, por incrível que pareça também pensam. E sentem também.
 E sinceramente, a minha vida seria muito mais fácil se eu fosse a patinha feia e insegura.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Irracional


E eu precisava dele comigo, precisava sentir seu cheiro outra vez, precisava encostar no seu cabelo macio. Precisava sentir o gosto da sua boca e a força de teus braços. O som do teu sorriso, e sua presença a me trazer a calma.
 Eu queria sua melhor parte e esperava dar a minha. Queria o seu melhor beijo e o mais fortes de seus abraços. Queria ouvir sua voz e, necessitava dela. Eu só precisava saber que você existia.
 Já era quase de manhã e eu ainda não tinha dormido, só com a mesma imagem na cabeça, o tempo todo.
 Aquele sentimento me perseguia e eu queria me livrar dele, mas ele estava grudado em mim, dificultando mais as coisas.
 Foi quando percebi, que o que me trazia paz era eu mesma. E assim consegui dormir. 
 Pois não precisamos de ninguém para nos completar, já nascemos inteiros. A vida com alguma companhia é só mais agradável. E quando eu estiver muito apaixonada por mim mesma, eu vou estar pronta, para me apaixonar por alguém.
 E o que eu precisava, era só ilusão. Uma parte de meu coração querendo me enganar. A parte mais irracional e incoerente.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

, resumo

Eu não sei como eu fiquei. Não sei se fiquei parada, se fiquei te acompanhando, se continuei cantando a música, ou se saí fora do ritmo. Só sei que parei. E naquele momento meu mundo era todo seu.
 Não vi o que acontecia em minha volta, apesar de ter várias pessoas ao meu redor, que eram quase impossíveis de serem imperceptíveis. Se alguém estivesse tendo um infarto e se o show tivesse parado, certamente eu não perceberia. Me isolei, e o mundo se distanciou. Foi uma fração de segundo que durou por muito tempo.
 Se ele me viu eu não sei, mas espero que não tenha visto. Eu estava tão acabada naquele momento que preferiria um boeiro para me enfiar.
 A distancia não me permitiu sentir o seu cheiro, nem ver o brilho de seus olhos. O sorriso que me encantou não estava em seu rosto, e eu gostei daquilo.
 Mas o que eu queria mesmo, era poder sentir o calor de seus braços e te ouvir dizer que nunca, me deixaria ir embora.
 Mas nesse momento, isso é impossivel. Pois as músicas já diziam tudo, o que precisava dizer.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Espírito aventureiro ~

 E eu só vejo o vento batendo em meus cabelos. Estou dentro do carro indo pra um lugar que nem eu mesma sei. É o espírito aventureiro tomando conta de mim. Só ele mesmo, porque eu esqueci o juízo na minha casa. Ele demorou muito para se arrumar e eu decidi vir sem ele mesmo. Só sei que estou com você. Um você que eu nem sei quem é, ainda; Mas sei que me faz companhia e ouve comigo uma música em inglês dos anos 80 que ao menos sabemos cantar. Tudo para dar mais emoção ao nosso espírito aventureiro.
 Nosso conversível verde água parece um penumbra dentre as árvores, pontes, mares e todos os lugares que passamos. 
Estamos sem rumo, mas felizes.
Não temos lugar para ficar, nem queremos. Estamos por aí, buscando lugares que nem mesmo queremos chegar. Andamos até dar vontade, sem pedir passagem. Buscando a paz que talvez esteja no final do arco-íris. Os potes de ouro nós não queremos, pois não irão mudar nada na nossa vida. Saímos distribuindo e só ficamos com uma pouca parte para nós, para a gasolina.
 No caminho encontramos amigos de infância do quais nunca vimos antes, e nos tornamos amigos de pessoas com um coração enorme.
 De vez enquando ligamos para nossa família, para não parecer muito esnobes,  mas não contamos nem a metade, do que vivemos com nosso espírito aventureiro.
 Em lugares com pessoas diferentes, para eles somos estranhos. Aprendemos culturas novas e ensinamos maneiras de viver.
 Nem são em todos os lugares que agradamos a todos, mas nem Jesus conseguiu essa façanha, não será dois loucos andando por aí que irão conseguir. Nada vai conseguir abalar nosso espírito aventureiro.
 Saímos sem nada. Só com as roupas do corpo, e continuamos assim. Agora temos um pouco mais, mas nada que não caiba no banco de tras de um carro.
Não voltaremos cheios de malas, se voltarmos. Nem com muitas fotos na maquina digital. As fotos não revelam toda a beleza vista por olhos nus. Ela simplesmente copia de uma forma bem fajuta. Mas voltaremos com as lembranças e sensações em nossa memória.  Experiências da vida. Coisa que não se compra em qualquer loja de esquina, mas se adquire vivendo. E essa é a mais importante das experiências da vida, viver. Aproveitar cada segundo intensamente. Conhecendo apenas você, e as maravilhas do mundo.

sábado, 24 de abril de 2010

Mudança irreversível ?

 Agora não tenho mais vontade de acordar. Antes queria dormir para chegar logo o outro dia, agora não quero mais dormir para jamais chegar o outro dia. Antes ansiava para chegar a segunda-feira para ver meus amigos, agora abomino isso para não sentir tanto a falta dos meus amigos. Odeio essa escola, odeio esses professores que cobram a gente toda a hora. Antes eles eram meus amigos e eu era amiga deles. Sinto falta disso. Os monitores me conheciam, eu conhecia eles. Aqui, eu não sei nem quem são os monitores. Odeio ter que acordar cedo e vestir esse uniforme. Odeio acordar e ter que vir aqui. Odeio ter que vir aqui. Odeio poder usar brinco de argola. Odeio ter bolso na calça e não poder reclamar. Pra quem antes não ligava muito para matemática, agora eu odeio. Intensamente e irrevogavelmente! E pra quem gostava de português, agora gosto mais ainda. Pra quem acolhia todos os novatos, agora está sendo acolhida. Pra quem conhecia todos, agora não conhece ninguém. É conhecida. Pra quem estava na melhor escola do mundo, agora está na... I, do, no.
 E pra quem era a melhor aluna e amiga de todos,agora é simplismente mais uma.
 Pra quem era Eu. Hoje não é mais.
 Uma mudança? Ou uma fase?
 Espero que seja uma fase, que o tempo irá levar.
 E que eu não dissolva até lá.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Bem-vinda! Ao mundo real

- Meninas, posso chamar a aluna nova pra ficar com a gente no intervalo hoje?
- Pode!
   . . .
- Oi, tudo bem?
- Aham
- Te vi sozinha ontem e achei que seria legal te chamar pra ficar com a gente. Também sou aluna nova , por isso sei o quanto é ruim não conhecer ninguém. Eu pelo menos já conhecia algumas pessoas daqui, mas dessas meninas aqui eu não conhecia ninguém. Conhece alguém daqui?
- Não, acabei de chegar de São Paulo. Você não conhece nenhuma delas?
- Não... Não é sempre que tem pessoas que te chamam para o intervalo sem te conhecer. É MUITO difícil se adaptar, sem querer te assustar. rs
  Não sabemos se são amigos, colegas, ou meninas que são legais e fazem o favor de ficar com você no intervalo. Não sabemos se damos nossa opinião na conversa e elas vão te incluir, ou se vão te ignorar como se você nao estivesse ali. Não sabemos se contamos a piada ou fingimos que não lembramos de nada. Não sabemos se chamamos para sair ou esperamos ser convidados.
Só te dou uma dica: Quando estiver aqui, pense aqui. Pois se você ficar pensando lá fora, você jamais vai conseguir se adaptar.
Podemos não ficar sozinhas depois de alguns meses, mas conquistar a amizade e a confiança das pessoas, demoram muito mais tempo. Anos, talvez.


sábado, 3 de abril de 2010

Depressão .

 E eu não quero mais sair de casa, quero ficar aqui sozinha.  A vida lá fora é muito difícil e eu não vou suportar. 
 Está muito pesado! Mas cada um tem a cruz que merece. Se eu pedir para diminuir não vou poder usá-la como ponte depois.
 Cada vez mais os números  tomam conta da minha cabeça e eu não sei o que fazer com eles. A minha vontade é pegá-los e jogar todos no lixo.
 Para quê servem os números para um escritor? Só se for pra calcular o pagamento. E para isso existem as calculadoras.
 Me cobram tanto, sendo que eu não cobro ninguém. Só peço o que eu posso dar.
 Ultimamente estou tão emotiva, que não sei o que se passa. 
 Fico no meu dízima periódica de pensamentos e esqueço que o mundo real existe. Meus pensamentos são mais fáceis de entender. 
 Prefiro minha voz calma e cheia de paz, à firme e exaltada. Mas é impossivel, pois eu não estou bem. Meu coração e minha alma estão tão pesadas que meu corpo não suporta mais. 
 Eu caio!
 E não, não está tudo bem!
 A única coisa que eu quero é ficar tranquila, sem ninguém me dizendo o que eu tenho que fazer. Já basta eu mesma tendo que me aguentar! Seria tão bom uma companhia de amigo agora... *-*
 Ou não.
  E confesso, estou morrendo de preguiça de existir, agora.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

A arte de reclamar

 É perseguição? A minha mãe vive falando que ela faz de tudo e eu nunca estou satisfeita com nada. Aí eu abro um livro e com que eu me deparo? Insatisfação. 
 Não perceberam ainda que nós, seres humanos, adoramos reclamar? Pode estar tudo certo, todo mundo achando tudo lindo, tem sempre um que acha algum defeito. Opa! Isso é insatisfação ou é chatice?
 Precisamos arrumar um motivo para reclamações, nada está certo! O mundo com toda essas flores, mares, céu, sol, está perdido. Não podemos confiar em ninguém, mas contamos a nossa vida inteira para uma pessoa que acabamos de conhecer em uma festa. Nunca temos roupa para sair, mais sempre saimos vestidos, e com a roupa que acabamos de comprar!\o/ Abrimos a geladeira e reclamamos que não tem nada para comer, daí o irmão abre a geladeira e fica em dúvida se pega o danone de chocolate ou de morango. Mas ué, um E.T abdusiu a comida e só devolveu quando você fechou a geladeira? 
 Adoramos reclamar, somos especialistas nisso. E olha que nem precisamos fazer faculdade.
 Achamos nosso pai louco porque ouve músicas estranhas, mas idaí? É ele que está ouvindo. Não queremos sair com a blusa azul, queremos a verde! Por que? A verde traz sorte?
 Não queremos comer arroz e feijão, queremos batata frita! Arroz e feijão engorda? Porque se sim, me fala!
 Enfim, é questão de implicância. Se não reclamarmos de nada, o mundo vai ficar muito sem graça! Só não exagera, tá?
 Quem não reclama e acha que está tudo bem, tudo certo e tudo serve, não tem personalidade alguma!
 Então reclame mesmo, e não deixe as pessoas em paz! O mundo fica mais divertido e termos mais histórias para contar.
OBS: Perigo!! Esse texto não é válido para pessoas que sofrem da síndrome da reclamação. Elas são muuuuito chatas!! Não tente ficar igual a elas. 



domingo, 28 de março de 2010

surto #

 Não fala mais comigo, finge que eu não existo! Finge que não aconteceu nada e que não falei porcaria nenhuma. Lembra só dos momentos bons e não me veja como um monstro. Porque esse lado eu juro, eu tento guardar só pra mim. Finge que todos são bons e que nunca brigamos. E que eu sou a pessoa mais educada do mundo. Finge que você gostou de todos os meus presentes, mesmo a minha letra sendo horrivel e estar tudo de cabeça pra baixo... Porque eu juro, que foram de todo o coração. Esquece dos momentos que eu fiz te passar raiva, só por um momento. E que por favor, esse momento dure para sempre. Diz que me ama, só por uma vez. Eu acho supercafona, mas é superimportante as vezes, sabia? Você conhece o abraço? Eu vou apresentar ele para você, ele é muito legal de vez em quando. Ou será que é sempre?
 Eu faço muitas coisas sem pensar, então não leve tudo a sério. Confie em mim, eu jamais vou mentir para você. Se eu chorar, as minhas lágrimas serão verdadeiras. Não faço cena pra ninguém, se é isso o que voce acha.
Eu não sou mulher o suficiente pra chegar e falar, por isso me expresso escrevendo em papéis e mais papéis.
 Me desculpa, e as minhas desculpas não são da boca pra fora. Então não leve isso como uma brincadeira.
Porque depois, você não poderá fazer das coisas novidade... Apenas dizendo "eu te amo".
Talvez seja tarde de mais.

terça-feira, 16 de março de 2010

Para compartilhar um segredo

 É tão difícil quando ninguém te conhece. Você não conhece ninguém. Quando as pessoas te julgam pelo que parecemos ser.
 Em um momento conhecemos tudo e em outro, conhecemos tão pouco.
 Nosso coração pede abrigo, mas ninguém se habilita a dar. Estão todos em sua casa com o seu cobertor, que importância terá um novato mendigo pedindo alento?
 A sombra da minha mão com o lápis sobre o sol, estou sozinha. Mais uma vez, com o sol me fazendo companhia. Meus olhos fecham porque ele está forte e do nada ele desaparece. Como nossas emoções, nossos sentimentos. Nossos amigos.
 Estudo, importante é. Mas o que adianta estudarmos para sermos infelizes?
 A inteligência nada vale, se não termos com quem compartilhá-la.
 Mais um texto extraído desse mesmo local, desse mesmo lugar. Desse mesmo. Sentimento.
 Mas enquanto eu estou aqui me preocupando com as pessoas, elas sequer lembram que eu existo. Ou não.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Passo a passo . . .

 Eu já estou acostumada com as preferencias. Já estou acostumada em não ser a prioridade. É, é assim que a vida anda. Não tem como negar. É bem devagar, e quando percebemos já acabou.
 São por atitudes, palavras, ou por nenhum motivo que as pessoas simplismente escolhem outras. E se nos derem a chance de escolher, duvido que escolheremos a pessoa certa.
 É do ser humano criar requisitos, personagens e imagens, para como cada um deve ser. E se ele não seguir o que você acha o certo, ele não é um dos seus. 
 Brincadeirinha simples, mas que machuca. E como você já está lesado de mais para perceber, nem sente.
 Damos o primeiro passo e nem percebemos, quando nos demos conta já estamos a um passo do abismo.
 Criamos personagens, que nem mesmo existem. E quando vemos os defeitos dos outros, tentamos compara-los com esses personagens. O começo de um sentimento chamado, preconceito.
Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra!

segunda-feira, 8 de março de 2010

A inspiração que vem lá do alto

 E eu estou sentada aqui, ouvindo o vento batendo nas árvores. Sinto um calafrio no pé e o sol vai embora.
 Como as coisas mudam, até agora o sol estava batendo em meu rosto, quente. E agora é só vento e frio.
 Se assemelham às pessoas. A sua partida, a sua volta.
 Você se vê com elas se divertindo. Pisca os olhos e já foram todos embora. E você fica ali encolhida com fome e frio. Fome de amigos, frio de ternura.
 Coisas boas passam rápido de mais, que não te dão tempo de raciocinar e aproveitar ao máximo.
 Podem ter mil pessoas a sua volta, preocupadas com o seu silêncio. Você se sente só. Mesmo com milhares de pensamentos, que costumam te fazer companhia.
 E você procura, tenta de tudo para prencher aquele espaço vazio na estante, mas você quer ficar sozinha. A estante do seu coração não pede complemento. Ela já é inteira sem livros. Com livros, ela só fica mais bonita.
 Cansa-se do padrão, das regras! Mas o que poderá fazer se está preso nessas limitações?!
 O sol bate de novo, e em minha alma sinto uma paz. Aquela tristeza foi embora, junto com as pessoas da minha vida.
 Mas sei que não estou sozinha, pois o Sol vem me inspirar e Deus é o que o trazes para mim.
 Já estou acostumada com a calma, as pessoas só servem para te iludir e depois, jogar todo o seu orgulho e sentimento em uma lata de lixo qualquer.

domingo, 7 de março de 2010

E um dia você cresce,

 E percebe que nada é perfeito nesse mundo.
 Quanto mais as lágrimas caem, mais emoções tomam conta de mim. 
 É tanta hipocrisia que não se sabe mais em qual mundo se vive. Não podendo contar nem com nossa própria família.
 Me disseram uma vez que, inteligência é muito importante, mas as vezes o que conta mesmo é o caráter. 
 Sobre minha inteligência eu tenho lá minhas dúvidas, pois sou insegura como qualquer um. Mas aprendi que, tenho inteligência o suficiente para saber o que é certo e errado.  E que ninguém discuta o meu caráter! Pois todos falam que sou mal educada, grossa, egoísta e mau humorada, mas pelo menos eu guardo esse lado "obscuro" para mim, não fico me atacando com ninguém como se fosse uma selvagem! Vivem falando de classe, isso é ter classe por acaso? 
 Erro, posso até errar. Mas admito minhas falhas e tento consertá-las. Mesmo ninguém acreditando em mim. 
 Não julgo ninguém sem olhar para o meu próprio nariz.
 Essa, é a pior hipocrisia que poderia existir.
 Não sou rebelde, sou justa!
 Nunca experimentei. Mas ser ruim, não deve ser tão difícil assim.
 - Eu até tentei ajudar, mesmo me sentindo impotente. Gritei à Deus. Mas acho que ele estava ocupado naquela hora. Acho que tinha outra pessoa, precisando mais do que eu... Mas o que adiantaria? Imaginei um policial alto e bem forte chegando para poder cuidar dos monstros. Até um bombeiro. Ou até mesmo, uma luzinha branca na janela, trazendo paz e tranquilidade. Deus pode ser de várias formas. Mas nada disso aconteceu.
 E eu fiquei ali, no canto vendo tudo. Me sentindo a coisa mais inútil que poderia existir sem reação. Me igualei a pó. Que existindo ou não, fazem a mínima diferença. 
 A pior coisa, é se sentir  fraca. Sabendo que não é.
 Vendo toda a base que você tinha, indo embora com as fortes rajadas de vento.

quarta-feira, 3 de março de 2010

A imensidão de quatro paredes

 Uma pena lá no céu eu vejo,
 A única coisa para a hora passar.
 Mas não quero que a hora passe,
 Está tão bom aqui no meu lugar, encostada no meu travesseiro. 
 As ruas estão quietas,
 As luzes, apagadas.
 E só eu no meu pequeno mundo solitário,
 Com meu caderno e meu lápis do lado. 
 As estrelas brilham no céu do meu quarto.
 É tão bonito ve-las com os olhos fechados.
 Sinto uma alegria por dentro, não sei qual o tipo de emoção.
 Só sei que vem lá do fundo, de dentro do coração.
 E por isso estou aqui escrevendo,
 A primeira coisa que vem na cabeça.
 Porque na vida nada tem replay,
 E essa é a verdadeira beleza. 

sábado, 20 de fevereiro de 2010

O que faz você feliz?



O que faz você feliz? A lua, a praia, o mar... Uma rua, passear, uma dança, um beijo, ou goiabada com queijo? Afinal, o que faz você feliz? Chocolate, paixão, dormir cedo, acordar tarde, arroz com feijão, matar a saudade? O aumento, a casa, o carro que você sempre quis... Ou são os sonhos que te fazem feliz? Um lápis, uma letra, uma conversa boa, um cafuné, café com leite, rir à toa... Um pássaro, um parque, um chafariz. Ou será um choro que te faz feliz? A pausa pra pensar, sentir o vento, esquecer o tempo. O céu, o sol, a pessoa ou o lugar... Agora me diz, o que faz você feliz?

Aquela comida caseira, brincar a tarde inteira... O molho do macarrão, ou é o cheiro daquela cebola fritando que faz você feliz? O papo com a vizinha, o bife, a batatinha. Um doce ou um desejo
Ficar de bobeira, assaltar a geladeira, comer frango com a mão, tomar água na garrafa, passar azeite no pão. Ou é namorar a noite inteira que faz você feliz? Brindar à toa, um filme, fazer um dia normal virar uma noite especial... Comer morango com a mão, pôr açúcar no abacate. Brincar com melão, goiaba, romã, jabuticaba. Ou é o gostinho de infância que te faz feliz? Cuspir sementes de melancia, falar besteira, ficar sem fazer nada, plantar bananeira ou comer banana amassada... Afinal, o que faz você feliz?
Abrir a janela, comer na panela, viajar pela rua, o mundo da lua. Ensaiar o passo, correr para o abraço. Ou é andar descalço que faz você feliz? Será que é cuidar da gente, cuidar do planeta, fazer diferente, fazer melhor? Ficar na cama, só mais um pouquinho! Comer um boliinho, fazer um carinho, se espreguiçar... É isso que faz você feliz? Ou é, adivinhar o desejo, um estalinho de beijo. Um mar de paixão. Uma bela salada, miolo de pão? Talvez, a macarronada, brincar de nada. Fazer de tudo, fazer o que você sempre quiz. Me diz, o que faz você feliz também faz, alguém feliz?

Obs: Texto retirado do comercial do Pão de Açúcar.