quarta-feira, 3 de março de 2010

A imensidão de quatro paredes

 Uma pena lá no céu eu vejo,
 A única coisa para a hora passar.
 Mas não quero que a hora passe,
 Está tão bom aqui no meu lugar, encostada no meu travesseiro. 
 As ruas estão quietas,
 As luzes, apagadas.
 E só eu no meu pequeno mundo solitário,
 Com meu caderno e meu lápis do lado. 
 As estrelas brilham no céu do meu quarto.
 É tão bonito ve-las com os olhos fechados.
 Sinto uma alegria por dentro, não sei qual o tipo de emoção.
 Só sei que vem lá do fundo, de dentro do coração.
 E por isso estou aqui escrevendo,
 A primeira coisa que vem na cabeça.
 Porque na vida nada tem replay,
 E essa é a verdadeira beleza. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário