quinta-feira, 29 de abril de 2010

Espírito aventureiro ~

 E eu só vejo o vento batendo em meus cabelos. Estou dentro do carro indo pra um lugar que nem eu mesma sei. É o espírito aventureiro tomando conta de mim. Só ele mesmo, porque eu esqueci o juízo na minha casa. Ele demorou muito para se arrumar e eu decidi vir sem ele mesmo. Só sei que estou com você. Um você que eu nem sei quem é, ainda; Mas sei que me faz companhia e ouve comigo uma música em inglês dos anos 80 que ao menos sabemos cantar. Tudo para dar mais emoção ao nosso espírito aventureiro.
 Nosso conversível verde água parece um penumbra dentre as árvores, pontes, mares e todos os lugares que passamos. 
Estamos sem rumo, mas felizes.
Não temos lugar para ficar, nem queremos. Estamos por aí, buscando lugares que nem mesmo queremos chegar. Andamos até dar vontade, sem pedir passagem. Buscando a paz que talvez esteja no final do arco-íris. Os potes de ouro nós não queremos, pois não irão mudar nada na nossa vida. Saímos distribuindo e só ficamos com uma pouca parte para nós, para a gasolina.
 No caminho encontramos amigos de infância do quais nunca vimos antes, e nos tornamos amigos de pessoas com um coração enorme.
 De vez enquando ligamos para nossa família, para não parecer muito esnobes,  mas não contamos nem a metade, do que vivemos com nosso espírito aventureiro.
 Em lugares com pessoas diferentes, para eles somos estranhos. Aprendemos culturas novas e ensinamos maneiras de viver.
 Nem são em todos os lugares que agradamos a todos, mas nem Jesus conseguiu essa façanha, não será dois loucos andando por aí que irão conseguir. Nada vai conseguir abalar nosso espírito aventureiro.
 Saímos sem nada. Só com as roupas do corpo, e continuamos assim. Agora temos um pouco mais, mas nada que não caiba no banco de tras de um carro.
Não voltaremos cheios de malas, se voltarmos. Nem com muitas fotos na maquina digital. As fotos não revelam toda a beleza vista por olhos nus. Ela simplesmente copia de uma forma bem fajuta. Mas voltaremos com as lembranças e sensações em nossa memória.  Experiências da vida. Coisa que não se compra em qualquer loja de esquina, mas se adquire vivendo. E essa é a mais importante das experiências da vida, viver. Aproveitar cada segundo intensamente. Conhecendo apenas você, e as maravilhas do mundo.

2 comentários: