segunda-feira, 28 de junho de 2010

Intruso

 Sentimento estranho e ridículo que está dentro de mim. Seria hipocrisia ou apenas uma coisa sem razão? Odeio acordar e perceber que você ainda não foi embora. Te olhar sem parar e não conseguir negar um sorriso.  Odeio esse seu sorriso bobo e a sua forma de ver as coisas. Odeio as músicas que você ouve e a forma como você fala. 
 Odeio você, porque se você não existisse eu não me sentiria assim. Odeio saber que sou fraca e não consigo controlar meu orgãos. Meu coração bate muito forte e eu não consigo te ouvir! Minha respiração acelera e eu não consigo esconder. Será que pra eu conseguir disso me livrar, eu vou ter que ficar longe de você? 
  Por enquanto é a melhor opção, até eu conseguir meu auto-controle. Os botões da televisão estão quebrados e o controle eu esqueci em algum lugar. Vou ter que me programar, até meu canal conseguir mudar. E a única coisa que passará na minha mente, não será mais você.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

O mundo dá voltas ~

E quando você não me amar mais, eu vou entender. Eu vou me acostumar com a sequência dos fatos. Você já não é aquela mesma pessoa que eu conheci, e que me conquistou pelo seu jeito de ser. O seu sorriso mudou e os seus atos também.
 Com o tempo os sentimentos se tornaram outros e a gente foi se acostumando com isso. O choque elétrico foi inevitável, mas é melhor deixar que isso passe.
 A sua maneira de agir, falar, e fazer algumas coisas as vezes me irrita, mas eu não consigo levar em consideração pelo simples fato de te amar. 
 Eu sou tão idiota, que fantasio seu amor com a esperança que um dia você volte a gostar de mim. Como eu acho que você já gostou um dia. Mas enquanto você não percebe que eu sofro sentindo a sua falta, eu fico em silêncio. Esperando você acordar sorrindo e dizer, que me ama outra vez.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Expulso ✘

Por que eu estou assim? Com uma vontade de chorar de repente e sem motivos?
 Será que é a culpa por sentir uma coisa que eu não posso? Ou é o peso do coração que não cabe mais dentro do peito?
 Uma coisa que eu não quero, mas não consigo mandar embora daqui. Algo impossivel, mas meu coração me trai toda vez, encontrando possibilidades.
 Se meu coração continuar batendo rápido e forte assim, não conseguirei me concentrar em minhas palavras e elas sairão pela minha boca mais incoerentes do que já são quando estou perto de você. Tenho medo que você ouça o batuque forte ou que meus olhos me traiam. Brilhando a cada vez que te vê.
  Luto contra mim mesma, esperando que tudo na vida seja só uma fase. Penso assim, para me livrar desses pensamentos que me cercam e ter outra coisa para pensar. Porque se você não sair da minha cabeça e de mim, vou ter que te expulsar de alguma forma. E aí, eu não sei o que vai acontecer comigo. Muito menos com a minha parte interna e invisível aos olhos.

domingo, 6 de junho de 2010

Obrigação #

 - Ah, qual é? Para com essa história de: "Faça um texto descritivo, um narrativo, um dissertativo". Ninguém merece, né ?
 Os melhores textos vem do nada com, as vezes, apenas uma frase. Não adianta querer nos obrigar a escrever um texto que a gente não quer. Na verdade, não nos obrigue a fazer nada que nós não queremos.
 - Podemos no mínimo, deixar a nossa imaginação fluir sobre o que quizermos?
 "Não!"
 A resposta é sempre não, não e não!
 - Então eu vou ler a saga Crepúsculo. 
 "Não, você não pode ler a saga Crespúsculo. Você tem que ler a poesia do fulano de tal"
 - Mas eu não gosto. Não é o meu tipo de leitura...
 - Blá blá blá blá
 Mas que saco! Parem de querer nos obrigar a fazer coisas que não queremos! Até ler e escrever pra quem não gosta é um martírio, imagine tendo um tal de tema a qual seguir...
 Pensem em nós adolescentes uma vez na vida e percebam, que quando fazemos por obrigação só fazemos, dando o mínimo de nós. Só fazemos para não ter que ouvir vocês dizerem que não fizemos.
 E sim. Escola é um saco, as vezes.