terça-feira, 13 de julho de 2010

Inseto

  Me invade uma vontade de mudar. A imagem que eu vejo no espelho já não me agrada mais e até quando eu vou ficar me achando um monstro? 
 O aperto no peito, a imagem na mente que me fazem lembrar você. A ficção misturada com a realidade que distribui um aroma em tudo e me fazem sustentar o teu olhar, porém em uma fração de segundos eu o desvio lembrando que o meu melhor, não é o bastante para você.
 Não sinto mais fome e o que me alimenta agora são os meus livros e contos de fada, cujos são mais confortáveis, pois na ficção tudo é possível. Eu fujo de realidades que não me agradam tanto e quem me dera se eu fosse capaz de fazer uma história que prendesse o leitor, assim como eu gostaria de prender você.
 Um inseto diante dos pés de um humano, é como essa coisa que pulsa e expulsa sangue, aqui dentro de mim se sente diante de ti.
  O mundo em uma revira-volta e meu estômago também, gritando por uma vida com mais emoção. 
 Alguém está afim de me levar para o Hopi Hari? Acho que essa, é a única maneira. Por enquanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário