segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Estrada

 Andando pela estrada com o meu violão, vou vivendo. Saio por aí, cantando a minha música, para quem quiser ouvir, para quem quiser seguir o mesmo caminho que eu. Canto do meu jeito e me sinto mais leve, deixo a minha energia positiva no ar com as vibrações da minha voz. A sinapse provocada em seu corpo, é uma sensação boa e viciosa.
 Com meu sorriso maroto, minha pele bronzeada e minha prancha debaixo do braço, faço amigos por onde passo.
 Ouvindo aquela melodia de fundo que sempre me surpreende, aquelas montanhas verdes e o cheiro de ar puro... O céu, o sol beijando o mar, a areia em meus pés e as composições em minha cabeça, meu cachorro do lado me fazendo companhia como ninguém poderia fazer, me sinto feliz! A lua, as estrelas, a música, a calma, tudo o que eu sempre quis.
 Símbolo da paz, símbolo do amor, platação de sorrisos na areia, com pessoas reais, que me surpreendem a cada dia que passa. 
 Volto a ver o mundo como uma criança depois de uma vida inteira. Viagens, amizades, borboletas e flores, família e amores. E depois de ter passado por tudo isso, sentado aqui relembro dos erros e enganos, porém das lições que as ondas da vida me ensinaram.
 Olho ao redor, vejo a vida e o mundo em volta, a grande família, a paz que eu sempre busquei e penso: Eu faria tudo outra vez.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Diferenças ≠

Eu gosto da lua, eu gosto do claro. Gosto das coisas nítidas e do expressionismo.  Gosto de olhar para o céu o dia inteiro, eu amo olhar as estralas. Sou amiga do silêncio, contudo não vivo sem música. Gosto da brisa, do calor e do vento. Considero o livro uma ótima companhia, mas não dispenso um abraço apertado. Meu refúgio são as letras, a fantasia e as folhas de papel, mas não troco o mundo real por nada. Amo coisas que me acalmam e as que me dão vontade de dançar. Choro com filmes de amor, sou mais forte do que posso imaginar. Sinto saudade, faço falta. Queria morar sozinha, não me imagino sem minha família por perto. Me sinto distante, lembro dos velhos e bons amigos. Eu gosto de qualquer música que eu considere boa, que me faça sentir vontade de ouvir, cantar, sonhar... 
 Me pedem vários conselhos de moda, só que mal sabem que jamais trocaria nesse mundo meu chinelo havaianas. Vivo andando por aí descalça, mas também vivo roubando o chinelo dos outros. 
Sorrisos me cativam, olhares também. 
Estressada, boazinha até de mais. Posso ser insuportável, mas sou a única que te ouvirá com atenção quando precisar. Eu não te apoiarei em tudo e nem estarei de bom humor todo dia, mas garanto que farei seu dia muito melhor com a minha simples maneira de ver o mundo.