segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Estrada

 Andando pela estrada com o meu violão, vou vivendo. Saio por aí, cantando a minha música, para quem quiser ouvir, para quem quiser seguir o mesmo caminho que eu. Canto do meu jeito e me sinto mais leve, deixo a minha energia positiva no ar com as vibrações da minha voz. A sinapse provocada em seu corpo, é uma sensação boa e viciosa.
 Com meu sorriso maroto, minha pele bronzeada e minha prancha debaixo do braço, faço amigos por onde passo.
 Ouvindo aquela melodia de fundo que sempre me surpreende, aquelas montanhas verdes e o cheiro de ar puro... O céu, o sol beijando o mar, a areia em meus pés e as composições em minha cabeça, meu cachorro do lado me fazendo companhia como ninguém poderia fazer, me sinto feliz! A lua, as estrelas, a música, a calma, tudo o que eu sempre quis.
 Símbolo da paz, símbolo do amor, platação de sorrisos na areia, com pessoas reais, que me surpreendem a cada dia que passa. 
 Volto a ver o mundo como uma criança depois de uma vida inteira. Viagens, amizades, borboletas e flores, família e amores. E depois de ter passado por tudo isso, sentado aqui relembro dos erros e enganos, porém das lições que as ondas da vida me ensinaram.
 Olho ao redor, vejo a vida e o mundo em volta, a grande família, a paz que eu sempre busquei e penso: Eu faria tudo outra vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário