terça-feira, 26 de outubro de 2010

Insonia

   
 O dia está claro e tranquilo, o sol quase não saiu e ouço os passarinhos cantarem.
 Deitada na cama a essa hora da manhã, sem sono, me pego sorrindo e minha mente focaliza em alguém, então percebo que ainda tenho um coração aqui dentro de mim.
 As batidas, parece que perceberam que eu estava prestando atenção nelas e foram ficando cada vez mais rápidas e fortes. Um trabalho cansativo e repetivo, o mais importante trabalho do mundo. Eu ainda não consigo entender como nosso coração é um órgão irracional.
 Meu peito dói ao lembrar você, acho que é muito peso e dor para um só coração,  não sei o motivo. Porém sei que você está dentro de mim e isso já é o bastante para eu me sentir melhor, mesmo contra a minha vontade.

Deveres .


O meu problema é ter medo do futuro. É ter medo do mundo.  É ser covarde e não ter coragem para enfrentar os desafios que a vida me dá. Me sentir inferior me esmaga por dentro e estar aqui também. É como se fosse uma morte lenta e dolorosa, como em uma câmara de gás.
 Roubaram o meu lar, motivo simples de mudar a minha vida por completo; Roubaram o meu chão, por isso estou perdida e sem rumo. Sonhos e conquistas a serem alcançados e eu sem poder me mover, receosa pelo resultado das minhas ações.
 Não percebi quando morri, só sei que não sou mais eu. Posso ter desaparecido com o tempo e por causa das circunstâncias, ou talvez, eu acordei um dia já sem alma, sem essência, inteligência.
 A decadência me atinge da mesma maneira que The End me atingia, frio e ríspido. A partir de agora, existem muito mais coisas para temer do que somente o fim. 
 No entanto, tenho que me manter firme perante os obtáculos da vida e me superar a cada dia, pois o meu futuro é só eu quem faço. Guardo em um lugar secreto no fundo do meu peito os sonhos e realizações, pois olho no espelho e vejo, a única pessoa que poderá conquistar tudo isso por mim e me fará feliz.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Proibida #

Hoje eu precisava de um tempo, hoje eu precisava ser feliz. Eu só precisava de uma música que me alegrasse, de um tempo para pensar. Necessitava de um abraço, ainda mais de uma companhia amiga. Ver você, era o que eu mais queria.
 Vontade imensa de chorar, esse barulho incansável. Não aguento mais ouvir sua voz, dizendo essas coisas sem sentido.
 Meu olhar parado, minhas idéias fluindo junto com um sorriso, pois as palavras dançam em minha mente e isso é engraçado para você.
 Tempo de felicidade abstrata, fantasiada de tristeza e solidão em um só personagem. Não tente me ensinar a viver, a vida sou eu quem vivo. Isso é só uma prova de fogo, que com o tempo não será mais nada, mas que no futuro pode me prejudicar. O medo das consequências dos meus atos me paralizam, mas no fundo sei que é só uma fase.
 Quero poder ser humano, quero poder sentir, viver, falar e me expressar por um olhar, pois deve ser tão bom ser feliz... 
 MAs parece que eu estou em um campo de concentração e a minha obrigação se fixa em trabalhar, trabalhar e trabalhar. Parece que eu sou proibida de querer ser humano.