quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Desconhecidos .

 Não me julgue pelo que pareço ser. Não me julgue pelos meus atos pois podem ser inconsequentes, não me julgue pelas minhas palavras pois podem ser irreverentes, não me julgue pelo o que penso, eu me excedo de vez em quando, não me julgue pelas pessoas que ando pois não importa, o pé continua meu. Não julgue os caminhos que sigo, prefiro margaridas à rosas no meu canteiro. Não me julgue pelas músicas que ouço, tenhos motivos desconhecidos. Não me julgue pelo que como pois não sou uma coxinha. Não me julgue pelo meu modo de vestir pois eu pego o que eu vejo primeiro na maioria das vezes. Não me julgue pelo modo de andar pois sou como o vento, posso ser forte como uma ventania ou leve como uma brisa, depende de como, quando e onde você me vê passar.
 Não ache que sabe tudo sobre mim pois nem eu às vezes, sei qual vai ser a próxima página da minha história. Não diga que me conhece, só por saber meu nome. Não pense que é melhor que alguém, só por ter a capacidade de julgar.
 Conheça um pouco de tudo, nem que seja por curiosidade. Deixe o preconceito de lado e olhe no fundo dos olhos de alguém pelo menos uma vez ao dia. Se conheça, antes de qualquer coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário