quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Meus Balões *

Você não entende? Nada me prende aqui. Nenhuma pessoa, nenhum objeto, nenhum lugar, nada especial.
É só compararmos tudo a balões. Aqueles balões coloridos que enfeitam o céu e encantam os olhos de criança.
 Eu estava em uma "constelação de balões", estava ligada a eles por várias cordas e um homem, uma mão. Todos éramos iguais, um completava o outro com as diferentes tonalidades de cores. Mas então eu fui comprada.
 Um garotinho me comprou e me separou de todos, de tudo o que fazia parte de mim.
 De uma certa forma eu estava ligada ao garotinho pois ele, como o homem, segurava ao meu cordão porém eu não era parte dele. Com ele eu era só mais um balão, com uma cor sem graça. Só mais um balão qualquer.
 Com a minha deslumbrante constelação de balões, o mundo ficava colorido porque a nossa felicidade o coloria. E é assim, mais nada.
Só que no meu caso, as pessoas da minha história na verdade são escolas. Os balões são personagens importantes e eu, bem, eu continuo sendo eu mesma. Agora, sendo o balão sem graça e sem importancia de um fim de festa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário