sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O inesperado .

 Eu gosto de coisas inesperadas.Não importa se for um gesto, uma palavra ou qualquer outra coisa que for, eu gosto desse sentimento de surpresa. Essa sensação de felicidade que irracionalmente puxa nossos lábios na forma de um sorriso e faz nossos olhos brilharem.
 Me faz bem essa emoção, pois nos pega de surpresa nos momentos em que mais precisamos, estamos inseguros e nos fazem voltar à realidade. Nos mostram cada vez mais que aquelas incertezas são bobas e que as pessoas nos amam apesar de tudo.
 Aquele telefonema, ou aquele abraço apertado que nunca passou pela nossa cabeça pelo simples fato de se lembrar que a vida é curta e temos que aproveitar. Pela saudade ou pela mera vontade ou realidade de ser imprevisível.
 A aprovação por um trabalho que fluiu, o reconhecimento de uma arte que aprendeu, o orgulho estampado nos olhos de alegria traduzindo um esforço que valeu a pena.
 Eu não vou deixar que tudo seja em vão, sei que vou me surpreender ou desejo tanto isso que prefiro acreditar. Fico na espectativa misturada com um pouco de medo, imaginando se todo o meu esforço valeu a pena e esperando, para assistir um filme imprevisível de todos os meus sonhos e realizações.
 Sem perceber tudo isso acaba e daí só temos que colher o que plantamos. O coração pulsa ao pensar na surpresa que virá e como todo inesperado só nos resta viver e esperar em baixo da árvore, os nossos frutos amadurecerem para desfrutar desse maravilhoso prazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário