quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Gosto de computadores

 Acho que foi a melhor invenção do homem essa coisinha aqui, que transforma distância em apenas detalhe, esconde ou revela nossos mais profundos sentimentos, camufla nossas lágrimas com uma simples carinha feliz. Talvez seja a maior mentira, ou a passagem para se dizer as verdades, talvez afaste os que estão perto e traga para perto os que estão longe, ou só junte ainda mais os que estão do nosso lado. Nos ajuda a resolver problemas, não nos abandona quando mais nos sentimos sozinhos, ou nos faz sentir ainda mais sozinhos do que já estamos. Facilita a idéia de se expressar, une pessoas diferentes, mas é traiçoeiro e pode nos passar para trás muitas vezes.
 A melhor coisa de estar conectado, é saber que existe milhões de pessoas a espera de algo que possa os entreter, do mesmo jeito que você. Nos ajuda nos problemas, nos trabalhos, na vida.
 Mas se for parar pensar, que se dane o computador! O que importa mesmo são as pessoas que estão por trás deles, que nos trazem alegria muitas vezes e que podem acabar com ela também. A maior arma e especialidade do computador é que as pessoas que estão atrás da tela jamais saberão como você está realmente a não ser que você diga, e mesmo se disser, o computador não conseguirá transmitir todo o nosso conjunto de emoções. Nem as palavras bonitas, nem as imagens em alta definição, nem os vídeos mais bem feitos conseguião um dia demonstrar o que se passa dentro de cada um de nós, a máquina mais perfeita existente na face da terra.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Sem voz

 É esse sentimento de desespero o meu maior medo de voltar. Acho que não me assusta tanto a perda, o sofrimento, a solidão ou as lágrimas que não cabem mais no meu olhar. O meu maior medo é que esse sentimento de desespero tome conta de mim de novo, que esse sentimento horrivel assombre o meu coração.
 São filmes que sou obrigada a ver que me assustam mais que tudo, que causam efeito multiplicado dos filmes de terror. Pode ter certeza, é muito pior.
 A coisa mais ruim é não poder esconder sua fragilidade das pessoas que você mais quer parecer forte. Essas malditas lágrimas que brotam toda vez que falo, mandarei para o deserto até secar. Mesmo minhas mãos percorrendo as linhas numa loucura constante eu não tenho voz, não tenho expressão, não tinha o que fazer, não tenho nada. Não posso fazer coisa alguma porque eu também participei disso, eu também tenho culpa.
 Talvez toda a culpa seja minha, talvez se eu aceitasse melhor essa hipocrisia toda como o resto do mundo as coisas fossem diferentes.
 Perdão por não ser assim, perdão por não conseguir me segurar, por ser tão ingênua ao ponto enjoativo. Perdão. Por não ser como vocês queriam, por não seguir os padrões.
 Não me importo se vocês me esquecerem porque eu sou impotente, não posso fazer nada a respeito. Eu sou assim.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Grandíssimos filhos da puta.


 Desculpe-me o termo, perdão pela falta de educação, mas é que existem momentos na vida que não existem melhores palavras para expressar os nossos sentimentos.
 O meu estômago revira de tanta inconformação, ou não, talvez seja só fome. O resultado disso tudo não afeta o meu estômago, afeta o meu físico, o meu coração, a minha mente, na verdade todo o resto. Esse é o meu maior - talvez até o único - ponto fraco.
 No meu mundo onde eu sou a rainha, mando matar mentirosos e quem pratica a injustiça, já que nesse muita gente se dá bem assim. Grandíssimos filhos da puta. Só isso que tenho a dizer.
 Mas o pior nesse mundo, talvez não seja esse tipo de gente que faz coisas não tão boas e sim quem é ignorante o bastante para acreditar em palavras falsas tão sem fundamento como a própria pessoa. São pessoas que se deixam afundar pela ignorância, que vedam seus próprios olhos para poder enxergar só o que lhe convém. 
 Quando será que eu vou aprender e seguir os conselhos da minha mãe? "Bonzinho só se fode" ela sempre diz, e eu continuo me importando com as pessoas.
 Quebro a cara mais uma vez, com esses filhos da puta metidos a espertos que se aproveitam da ingenuidade alheia. Nada descreveria o que eu sinto agora, nem as palavras mais chucras, afinal, palavrões também são uma forma de desabafo.
 Jamais acredite no tipo de pessoa que acha que consegue o mundo, porque pessoas assim, facilmente acabam com o seu mundo para chegar onde querem.
 A verdade é que todos nós somos uns filhos da puta, sem levar a palavra ao pé da letra, por favor. Mas todos nós somos, e somos mesmo até sem querer. Porque sempre vai ter um filho da puta pra te transformar em um.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Entrelinhas


Eu não gosto dessa agonia no meu peito, de todo o  meu corpo arrepiado, desses pensamentos que insistem em me pertubar. Não gosto desse vazio no estômago, nem dessa minha cara de cachorro abandonado. É ruim sentir na pele o que você mesma já fez outros sentirem.
 As letras das musicas me confudem pois eu não tenho certeza se todas são para mim, mas não importa, eu ouço e presto atenção em cada mensagem subliminar. 
 Espero que tenha juízo assim como eu tive, não quero estragar nada, só não quero que me decepcione outra vez.
 Nos momentos de incerteza e agonia a gente esquece o orgulho, deixa tudo para trás e até pede perdão em vez de aceitar as desculpas. A cabeça fica fora do lugar, a gente acha que não tem como piorar mas ela fica mais caótica nos momentos de tensão.
 De repente vem uma preguiça, as palavras vão dormir, as suas mãos começam a amolecer e parece que a unica saída é chorar pelo leite derramado, embora você não tenha certeza se o leite realmente se derramou, pois o que os olhos não veem a mente inventa e já dá para sentir de longe o medo que se instala.
 Espero que não leve a sério, que não se importe pela falta das minhas reações e resolva descontar tudo o que você pode agora. Que ao contrário de mim, você tenha uma mente boa e um coração bem resolvido, não me use como inspiração não. 
 Sei que sou dificil, muito mais complicada, contraditória e muitas vezes problemática mas como a letra da música, eu tenho algum propósito, mesmo que você não entenda. Então por favor, continue com os pés firmes no chão e não desista, porque quem sabe um dia eu possa te mostrar que nem tudo foi em vão.
 Disperdiçamos tempo, mas nunca é tarde para começar, recomeçar, mudar, experimentar e quem sabe fazer tudo outra vez. O tempo é curto mas temos tempo de sobra, acalme-se. O que for para ser, será.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Falação

E de que me adianta esperanças? No fundo eu sei o que irá acontecer. Embora várias vozes e pensamentos bons queiram me persuadir a acreditar, no fundo eu sempre sei o que está por vir.
 Com essa cabeça vazia, desejo todos os dias ser uma pessoa melhor, em todos os sentidos. Cabeça oca que sou, desperdiço muito tempo e o uso de forma errada. Há uma grande probabilidade de tudo o que eu estou fazendo não me servir de nada como já aconteceu tantas vezes com outros, pois aqui estou eu mais uma vez escrevendo e enfeitando papéis na aula de matemática.
 Qual é a chance de acontecer a mesma coisa nas duas? Escolhendo ao acaso… Disse o meu professor.
 Será que eu continuei fechada no meu mundo a vida inteira? Possível.
 Vejo estresse em todo o canto e acho que as pessoas ficam mais pesadas estressadas, mas um peso na alma sabe? Uma coisa que elas carregam no coração.
  É tão bom sorrir e tão bom ter o abraço de um amigo, é bom saber que não estamos sozinhos. A finalidade de enganar as pessoas eu ainda não encontrei, adoraria cair nesse jogo mas sou esperta de mais para me submeter a isso, desculpe a minha franqueza. Às vezes acho que me fecho, que me imponho limites por medo do mundo, pois o meu mundo é mais confortável, ou eu só não seja capaz.
 A gente muda em segundos, a nossa alma muda, pelas transmissões de energia, pelo contato com as pessoas, pelo o que a gente vê ou o que a gente ouve. Se torna uma coisa insignificante para as pessoas, mas não deveria ser assim. Fingindo ou não que se importa, todos somos iguais e nos preocupamos com os nossos próprios narizes.
 Pois é, as vezes estamos tão preocupados em manter nosso ponto de vista que acabamos sendo injustos com as pessoas, ou apenas seja hipocrisia mesmo. Tive que ouvir que falo de mais, mesmo com preguiça de abrir a boca, mesmo com todo esse barulho e eu aqui grudada ao meu lápis, perdida em meus pensamentos, em minha combinação de letras. Vivemos em mundo em que todos somos inseguros e volto a pensar - De que adianta ter esperanças?
 Só que não posso me impor pois afinal, falo de mais. Sou apenas uma amadora, que segundo a minha professora de português, não tenho moral. Comecei a falar de repente então? Acho que não sou eu. Só quero a justiça, ou a palavra certa seja a democracia, para um mundo que não se pode mais defender o que pensamos só porque alguém disse que está errado.
 Ter esperanças em situações como essas talvez seja ingenuidade de mais, pois ninguém leva o jovem a sério.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Chuva de Verão

 Eu pensei que estava tudo acabado, que eu nunca mais passaria por isso porém, quando eu vi as lágrimas já faziam festa pelo meu rosto. Mais uma vez eu não queria, mais uma vez eu não tive escolha, simplesmente tive que fazer e a cada energia gasta sem ao menos sair do lugar, sentia que tudo ficava para trás. Novamente.
 Meu coração foi torturado e pisoteado e agora, ele sofre precipitadamente pois já sabe o que está por vir. Será que ele vai aguentar tanto aperto mais uma vez? Será que eu vou aguentar? Vai chegar o dia que as pessoas cansarão de me fazer sofrer e me deixarão seguir em paz?
 A única coisa que eu peço é a calmaria, pode até ter tsunames dentro de mim mas são os meus tsunames e eles não me incomodam, não incomodam mais. Logo agora, que eu me sentia completa de novo, sou obrigada a fingir que está tudo bem quando a minha vista embaça pelas lágrimas e meu peito sufoca, só de lembrar da hipótese de perder tudo de novo.
 Eu não sou ruim, sei que não sou, então acho que não mereço essa chuva ácida no meu rosto. Pois é assim que eu me sinto, imersa na escuridão com uma chuva ácida que me queima e alaga meu coração. Deve ser carma, só pode.
 No fundo eu sei que aguento, pois ninguém morre de decepção, ainda mais uma adolescente dramática e egoísta como dizem as más línguas. Vai ser pior mesmo eu não esperando por isso, embora eu saiba que me deixará mais forte. O problema é que eu não quero ser forte, quero ser só eu. Cansei de mudanças, cansei de me esquecer, de me esquecerem, de sentir o ar passando dentro de mim por estar tão oca, de olharem e não me verem pois já estou tão vazia sem os pedaços do meu coração que deixei para trás que me torno imperceptível.
 Sei que aguento, mas ainda vai chegar a hora em que será tarde de mais para me salvar.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Ponto de luz

Sabe quando você se sente tão vazio, tão sem rumo ao ponto de desmoronar? Que qualquer desmontração de afeto se torna significativa e por um momento parece que as pessoas se importam com você? Sabe aquele medo intenso de perder quem você ama, que te faz agir sem pensar e fazer de tudo para agradar?
 Você olha para os lados e vê que todos são felizes sem você, todo mundo tem um porto-seguro, alguém que nunca se separa e você só tem as sobras de afeto dos outros.
 É a maldita insegurança que nos assombra, que espera o nosso ponto de fraqueza aparecer para se agarrar totalmente a ele. É aí que a gente começa a ser mais sábio, começa ficar mais calado e a prestar atenção ao redor, a prestar atenção nos olhares e nos gestos involuntários das pessoas. E depois de um tempo, você percebe que todos tem as mesmas fraquezas só que em momentos diferentes. E mesmo que passe pela nossa cabeça milhões de vezes, a gente não está sozinho, tem sempre alguém lá em cima observando os nossos movimentos e pronto para ajudar. Se você não acredita tudo bem, até porquê, a única pessoa que realmente pode nos ajudar somos nós mesmos e antes de precisar de alguém, temos que nos precisar.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Abstrato escancarado

 A verdade é que ninguém vai gostar da gente totalmente. O amor que a gente dá, é o mesmo que queremos receber, as pessoas nos amam mas não gostam da gente o tempo todo. A verdade é que ninguém se importa, todos querem cumprir bem o seu papel de amigo, família, conselheiro ou o que quer que seja. As pessoas se preocupam com o que lhe convém e que se dane o resto.
 Só lembram da gente quando temos algo a oferecer ou quando somos os únicos à disposição. As pessoas acostumam-se a se contentar com migalhas e será que tem que ser assim? Será que no meio de tanta desilusão exista alguma coisa que preste?
 Não acredito que pessoas sejam substituíveis pois não existem pessoas iguais. E por não existirem pessoas iguais, não temos que tratá-las do mesmo jeito. Não seria burrice viver, mas seria burrice insistir no erro. Mas errar não é humano? Então porque tanto medo de errar se é com os nossos erros que ficamos mais fortes? Ah, vai entender o ser humano... Ou vai tentar me entender. Impossível. Ou seja uma equação complexa de mais e por isso as pessoas se cansam tão fácil. Talvez não seja uma equação, mas um quadro abstrato e sem sentido que chama atenção no começo mas logo perde a graça em querer descobrir o que há ali. Talvez todas as pessoas sejam quadros abstratos indecifráveis, cada qual com sua cor, intenção e sentimento ali escancarado na sua cara, mas encoberto pelas entrelinhas.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Diferença que move o mundo


Ser diferente é ser especial, é ser nós mesmos de uma forma única, do jeito que nem a melhor cópia se igualará. É ser você. É como uma cor única que completa a paisagem e sem ela, tudo ficaria sem graça. É quando mesmo que misturemos as mesmas tonalidades anteriores, não obtemos o mesmo resultado duas vezes.
 A diferença em tudo é o que traz a magia do mundo. É a forma de se encantar pela maneira única de sorrir, que traz o amor ao nosso coração.
 Diversidade pode ser muitas vezes o motivo de discussão dos tolos, mas na maioria das vezes é a razão por qual conhecemos a nós mesmos. Quantas vezes você foi diferente do que realmente é para agradar alguém e perdeu a essencia que te fazia especial? Quantas vezes você já se olhou no espelho e se sentiu sem graça, apenas por não seguir os padrões que essa sociedade desordenada impõe?
É esse o problema das pessoas hoje em dia, tentam se parecer com coisas que não tem nada a ver com o que elas tem por dentro, só para agradar pessoas que nem sabem que elas existem. Esquecem que legal é ser único.
 Não existiria mundo se tudo fosse branco e o pior, não existiria você.
 A garota mais bonita da escola nunca sorrirá como você, a modelo mais perfeita nunca terá o brilho dos seus olhos. Saiba se valorizar e aceite todos os dias, que somos perfeitos pelo que somos. Assim mesmo, com todas as qualidades e defeitos.
 E nunca, nunca se deixe levar por essa sociedade que só nos quer como robôs fáceis de manipular.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Estranho é o resumo .

 É estranho estar aqui, escrever sobre isso. Estranho eu conseguir só enxergar cores, na única coisa que tornou meu mundo monocromático antes. 
 Não pode ser normal eu me sentir tão em casa, com o meu coração tão tranquilo, compartilhando os meus maiores e únicos segredos com as pessoas que por muito tempo foram motivo de choros incontroláveis, desconfiança e saudade. É esquisito ver aqueles que eram o seu único motivo de ir pra escola, uma vez por mês. É assustador ver que, as pessoas vão, bem devagar confiando em você. É eufórico perceber que aos poucos você se torna parte do seu próprio pesadelo, que os monstros na verdade era só você que via, que a vilã era você mesma.
 É encantador pensar que esses mesmos momentos há um ano atrás eram as únicas coisas que eu queria, as coisas que eu pensava que nunca fariam parte de mim. Ou melhor, as coisas de eu faria parte. Coisas que agora, acontecem tão naturalmente como abrir os olhos ao acordar. 
 É enlouquecedor ver a vida passando diante dos seus olhos, as pessoas segurando a sua mão, perceber a mudança de atitudes, palavras, olhares.
 É simplesmente loucura pensar, que as coisas nunca iriam melhorar. Que o tempo só ilude e não cicatriza feridas e que, sempre a mesma opção é a certa. Foi loucura minha pensar que Deus tinha me abandonado e que nada mais tinha jeito. Na verdade tudo é sempre uma grande loucura. A loucura da vida, dos sentimentos, da pressão, da personalidade, do novo, da saudade. Estranho é o resumo de tudo, você só tem que aprender a lidar com isso do seu jeito. E nem que demore, um dia chegaremos lá.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Sonhos, por enquanto.

 Um dia meus sonhos terão outro gosto, outra forma. Quem sabe um dia meus sonhos serão maiores pois já realizei tudo o que eu queria realizar...
 Será que um dia eu terei orgulho de olhar para trás e ver que valeu a pena tudo o que eu fiz? Será que um dia eu terei o suspiro do alívio, da vitória, da paz?
 Será que daqui algum tempo meus sonhos serão os mesmos? Porque as coisas vão perdendo a importância conforme os dias passam, as nossas prioridades se tornam outras.
 Nunca pensei à respeito sobre o preço dos meus sonhos, nem a intensidade deles, muito menos se eu serei capaz de realiza-los. Na verdade, eu fico indecisa no meio de tantos sonhos. Às vezes eu não sei nem em qual sonho eu estou, se é uma mistura de todos eles, ou se eu realmente sonho com alguma coisa. São sonhos simples, pequenos ou complexos que formam praticamente uma Aurora Boreal na minha mente.
 Sei que não poderei realizar todos, ou pelo menos realizarei um de cada vez. Espero que nem o dia mais nublado e chuvoso acabe com o brilho dentro de mim e que, nem que eu passe dias debaixo das cobertas esperando o sol aparecer novamente, a esperança e a fé em mim mesma não desapareça, assim como os que descobrimos que não são tão confiáveis nessa hora.
 Que a capacidade de sonhar alto e ainda mais de lutar pelos meus sonhos nunca me deixe. É isso o que eu desejo a mim mesma.
 Porque ninguém é perfeito, mas todos sabem alguma coisa perfeitamente. Não importa o quão insignificante isso seja.
 Todos são especiais e únicos, só temos que encontrar os fogos de artifício dentro de nós e deixa-los brilhar da forma mais única e livre possível. Só temos que acreditar e aproveitar as chances que a vida nos dá deixando esse medo de viver de lado.
 Isso é tudo o que eu desejo para mim, e para você também.


terça-feira, 5 de julho de 2011

À solucionar.

 Adoro escrever com lápis coloridos. Luto constantemente para não ser normal. Não me importaria se um dia ganhasse flores, desde que venha com um coração quente e pulsante de brinde. Reparo em sorrisos. Fico tentando decifrar pessoas. Tenho mania de ver carinhas em carros. Se pudesse, passaria noite em claro vendo as estrelas. Necessito de doses diárias de abraços e música. Amo surpresas. Vivo de unhas coloridas. Gosto de dormir no final da tarde com o pôr do sol batendo no meu rosto. Fico sem graça quando cantam parabéns para mim, fico vermelha quando sou muito elogiada. Ando mais torto quando tento impressionar, acho que tenho medo de alturas muito grandes. Os brinquedos mais divertidos são os que viram de ponta cabeça, as histórias mais legais são as de ação, suspense... Romance. Não vivo sem pimenta, tomate-cereja, bolo, água. Um dia vou ter todos os episódios de Friends. Espero aprender a tocar algum instrumento um dia, e a andar de salto alto sem parecer que carrego dez quilos em cada pé. Ainda vou casar com um chinelo Havaianas e ter vários Havaianinhas. Passei a ter um medo mortal e exagerado de insetos de uma hora para outra. Escrevo 80% com o coração e 20% com a cabeça. Me sinto o máximo na hora de dormir porque meu cabelo sempre fica bonito. Algumas pessoas acham que eu falo engraçado. Não gosto do que é clichê. Devo ter uns 60% de audição (se eu estiver concentrada ou assistindo alguma coisa, não se estresse se eu não te ouvir. Não é de propósito).
 Prefiro o básico. Não dispenso o glamour. Adoro inventar. Me acho A cozinheira por conseguir fazer uns meros docinhos. Sou desligada na maioria dos dias. Fico sem graça quando vou pedir coisas ou agradecer favores. Suspeito ter uma espécie de "aminésia-recente", pois me lembro de coisas antigas e esqueço o que fiz ontem. Sou totalmente contraditória. Não sei se acredito no amor. Antes tinha medo das pessoas pessoas, agora tenho medo do mundo.
 Verde água e azul hortência são minhas cores preferidas. Me sinto culpada quando brigo com as pessoas mesmo estando certa. Meu humor varia com a cor do céu. Não sei o que vou querer ser quando crescer, acreditar em sonhos como uma criança já está bom para começo. Eu tinha certeza e achava que sabia de tudo, agora não sei de mais nada. Tento entender a vida e o mundo, na verdade a mim mesma. E só me complico cada vez mais. Talvez quando eu crescer, eu decifre esse real mistério.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Aquelas borboletas de lá.

 Eu realmente não acredito em contos de fada. Não acredito mais. Se você acredita, você tem toda a minha admiração por conseguir viver em um mundo em que "o amor verdadeiro" existe.
 No meu mundo, na minha realidade, esse sentimento já deixou de exitir faz tempo. Mas quem se importa? As pessoas idealizam o "amor verdadeiro" e relacionam com flores, beijo na chuva, caixa de chocolate, loucuras como provas, atravessar o mundo inteiro, enfim. Eu também encontro tudo isso sim, na verdade quando eu quiser em qualquer locadora. 
 Nesse tempo em que vivemos, em que cada minuto da vida é voltado para dinheiro e bens materiais, não existe espaço para o "amor verdadeiro", nem para cavalos e príncipes encantados. 
 Na verdade não é a nossa realidade, nem a década em que estamos pois o amor nunca mudou, as pessoas que o idealizam da forma que não deveriam.
 Mas deixa-me te contar uma coisa: o amor não é perfeito pois não existem pessoas perfeitas. 
 Não espere que te apareça o garoto mais lindo do mundo na próxima esquina, que vai rolar um amor à primeira vista e que vocês serão felizes para sempre. Talvez o garoto mais lindo do mundo tenha um olhar inexpressivo que não te encantava tanto, acorde com o cabelo desarrumado e de mau humor naquela manhã de domingo, ou o para sempre não seja tão eterno assim. 
 Não espere ouvir um Eu te amo naquela comemoração de aniversário de namoro, flores como pedido de desculpas ou café da manhã na cama na sua lua de mel.
 Talvez o te amo virá depois de uma crise de ciúmes, numa segunda-feira, após uma discussão. As flores virão quando você receber uma boa nota naquela prova que você estudou o final de semana inteiro e deixou de ir ao cinema com ele. 
 Não culpe o amor, porquê ele é sempre o mesmo. Não idealize, se surpreenda.


terça-feira, 15 de março de 2011

Erros constroem pessoas .

O meu erro é ser bondosa demais e esperar a mesma coisa das pessoas. É achar que o mundo é justo e honesto. É amar demais, o que pode até não ser um erro, mas que sempre acaba me machucando. É ter coração frágil. É  me iludir com palavras e gestos, sendo que os dois podem ser fakes. É acreditar em coisas que eu jamais serei capaz de fazer. É ser masoquista e ir atrás de uma coisa que eu sei que só me fará mal, mas que por uma irracionalidade de momento define coisas eternas. É apoiar o que eu não deveria. É ficar parada no tempo, lembrando só o que me convém. É ser sensível demais e não conseguir esconder isso. É ser óbvia demais. É mentir mesmo com o nó na garganta. É prometer sabendo que não serei capaz de cumprir. É esconder o que eu sinto por puro medo e deixar de viver.
 É escrever tudo o que eu penso e sinto para milhões de pessoas verem, como se eu estivesse expondo meu coração e cérebro num museu e adorando as visitações. O que não é totalmente verdade.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Máscaras .

 É uma ansia que vem do peito, como se o seu coração quizesse vomitar aquele sentimento que te faz tão mal. Mas não consegue, isso é o pior.  Não adianta lutar, culpar a si mesma, fazer o que for possível para esquecer, é um sentimento que chega sem avisar e não tem data para partir.
 Porque quando você está perto minhas boxexas coram, minha mente não fica em paz, o meu coração bate mais forte, meu corpo treme inteiro e as benditas das minhas palavras não saem como eu quero.  Seu cheiro se tornou o melhor do mundo, o que antes passava despercebido. Um cheiro que me deixa eufórica, me causa reações estranhas e que eu sinto assim, sem nem ter você por perto.
 Seu olhar é pilantra e me rouba sorrisos toda vez que encontra com o meu, cada gesto paralisa em minha memória como se você fosse desaparecer a qualquer momento e eu necessitasse lembrar de cada detalhe seu para seguir em frente, suas palavras são conforto para os meus ouvidos mesmo que sejam insignificantes.
 Não me importo em aprender tudo, não me importa ter que te ensinar e reensinar várias vezes,  desde que esse momento dure o maior tempo possível. O que me incomoda saber, é que você me faz esquecer o quanto eu estava brava com um simples sorriso que você me dá, e isso faz desmoronar todo o meu orgulho de garota decidida.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

O erro é a humanidade .

 Um olhar só basta. Um simples olhar que pode mudar o mundo, pode selar a paz mundial.
 Um sorriso de uma criança que muda vidas, a palavra sincera que muda corações. Não precisamos de nada complexo, só precisamos mudar essa nossa mente ignorante e hipócrita.
 Se deixarmos de ser egoístas por um momento e perceber que o mundo não gira ao nosso redor, as coisas podem melhorar sim, nem que seja só um pouco.
 O que mais existe nesse "mundo perdido" é egocentrismo e luxuria, é o ato sem pensar no próximo, cada um por si, mas quem somos nós para julgar o erro cometido se fazemos igual ou talvez pior? Não somos perfeitos e nosso erro é pensar que ninguém sabe disso.
 Vivemos em uma sociedade manipuladora e mentirosa que por uma carinha bonita ou uma jóia no pescoço se ilude, se achando no direito de julgar quem quer que seja.
 As pessoas fazem o mundo, ele não seria tão ruim se os que vivem nele soubessem usufruir do que tem. Na verdade, o mundo com toda essa beleza é perfeito, as pessoas que o estragam com o tamanho do seu veneno.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

É dosar toda dose de loucura ♫

Eu não falo da dor, eu falo da estranha sensação de não sentir nada. Eu queria muito que isso acontecesse, que eu conseguisse me desligar tão rápido como as pessoas estão acostumadas a fazer, imitando esses aparelhos de última geração. O que eu deixei de perceber, é que a maioria nem chegou a se ligar e eu aqui, sem saber nem a metade do que está acontecendo. 
 Fico esperando reações que deixaram de existir ou talvez nunca tenham existido, eu que me confundi. Contando com uma confiança que eu ainda não conquistei, mas que as vezes eu enxergo pequenos fragmentos lá no fim daquela caverna, naquele pequeno ponto de luz. Não sei se é só meu subconciente tentando me confortar, repetindo em minha mente que tudo vai dar certo e que com o tempo as coisas voltarão para o seu lugar, não sei se é ilusão ou se realmente eu vejo um pouco de confiança nas pessoas. Sei que vai demorar mais uma temporada daquelas para eu me recuperar, ou fingir que recuperei. Odeio decepcionar os outros e me sentir fraca e inútil por isso.
 Quem sabe eu só precise deixar de ser boazinha, porque daí com certeza eu não vou quebrar a cara ao confiar de novo em alguém, ou eu esteja precisando reformular tudo o que é nude e sem expressão, dar apenas uma tonalidade a mais. Talvez eu só precise me aceitar e encarar essa nova realidade, me aproximando a cada dia de mim mesma e me tornando amiga de um espelho de alma e com o tempo, aproximando as pessoas em minha volta. Porque a felicidade só depende de mim.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Não é proibido

 - Uhuuu! Olha, é só correr com os braços bem abertos! Finge que é um avião!
 - Para de gritar!
 - Não estou gritando, estou elevando a minha voz...
 - Para com isso!
 - Ah, vamos correr! Oloco, eu madruguei essa noite e estou mais rápida que você! RAAWN haha
 - Para com isso. Eu estou passando vergonha!
 - Vergonha por que? Sou alguma espécie de anormal?
 - Parece. Você está toda descabelada!
 - Edaí? Ninguém me conhece. Não devo nada pra ninguém! uhuuu
 - Para!
 - Ah, só porquê eu sou feliz?
 - Não, porque você está correndo com os braços abertos fingindo que é um avião!
 - Isso é só um detalhe!
 - Você está ficando louca?
 - Sim! Mas eu sei que você me ama do mesmo jeito!
 - Ei, garota! É proibido ficar gritando aqui, sabia?
 - Não, é proibido a partir do momento em que não está bom para você. 
 Eu tenho o maior medo, dessa coisa de ser normal.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Frascos

 Ás vezes é bom guardar sentimentos, guardar histórias. Pode ser saudável guardar lembranças e recuperá-las nos sonhos ao dormir. Deve ser bom guardar olhares, mas a pior coisa é guardar um abraço. Nunca guarde um beijo e não caia na loucura de guardar um sorriso.
 Não se surpreenda se guardar uma palavra, ainda mais uma palavra que signifique para você e que precisava ser dita. Jamais guarde experiências e ensine ao próximo o bem que é viver, não guarde rancor ou mágoas e converse sempre que puder. Guarde segredos se um dia precisar, mas não tenha medo de guardar as mentiras quando for solta-los, guarde o que não quer para você e compartilhe o que há de melhor.
 Faça o quiser da vida porém jamais guarde o tempo, não deixe que o perdão e a bondade caiam no esquecimento e não os guarde nunca, use-os sempre que puder. 
 Guarde se isso lhe fizer bem e extravase até o seu limite, guarde o amor de um irmão, a amizade de um amigo, um carinho familiar, aquele sorriso e o intenso olhar.
 Guarde tudo se quiser, mas se o que for guardar foi um "eu te amo", nunca, simplesmente assim, nunca guarde. O que eu esqueci de contar é que o tempo e momentos como esse, são impossíveis de congelar e serem guardados em qualquer tipo de frasco.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Em 2010 ,

 Eu fui bastante ao cinema, comecei a pintar as unhas de cores berrantes, chorei tanto e aprendi em dobro, li muito mais. Exercitei a mente e por incrível que pareça, o corpo também. Comecei a escrever de madrugada, a falar diferente e a fazer caretas. Conheci um outro mundo, ouvi outras músicas, fiz novas amizades, experimentei coisas diferentes, consumi mais. Criei novos medos, novas manias, novas artes. Consegui Havaianas mais que suficientes para um par de pés, o que é um sonho realizado. Alimentei incertezas, colecionei sonhos, andei de salto, fui ignorante e medrosa, bebi muito mais água. Coloquei um pircing, guiei-me por um calendário, esqueci várias vezes das coisas, dormi por duas pessoas, amadureci. Achei minha cor preferida e o meu momento do dia preferido também, senti saudades enomes, superei. Ganhei dinheiro, perdi, me arrependi, tive crise de personalidade, cresci. Conheci produtos novos, diversões novas, continuei com hábitos chatos, tive ciúmes, senti dor, senti falta. Tive sede de conhecimento, preguiça de trabalho, raiva e dó de pessoas. Tive sentimentos estranhos, pensamentos estranhos e fui insanamente estranha.
 Em 2010 eu não apenas vivi, eu também evoluí.