segunda-feira, 25 de julho de 2011

Estranho é o resumo .

 É estranho estar aqui, escrever sobre isso. Estranho eu conseguir só enxergar cores, na única coisa que tornou meu mundo monocromático antes. 
 Não pode ser normal eu me sentir tão em casa, com o meu coração tão tranquilo, compartilhando os meus maiores e únicos segredos com as pessoas que por muito tempo foram motivo de choros incontroláveis, desconfiança e saudade. É esquisito ver aqueles que eram o seu único motivo de ir pra escola, uma vez por mês. É assustador ver que, as pessoas vão, bem devagar confiando em você. É eufórico perceber que aos poucos você se torna parte do seu próprio pesadelo, que os monstros na verdade era só você que via, que a vilã era você mesma.
 É encantador pensar que esses mesmos momentos há um ano atrás eram as únicas coisas que eu queria, as coisas que eu pensava que nunca fariam parte de mim. Ou melhor, as coisas de eu faria parte. Coisas que agora, acontecem tão naturalmente como abrir os olhos ao acordar. 
 É enlouquecedor ver a vida passando diante dos seus olhos, as pessoas segurando a sua mão, perceber a mudança de atitudes, palavras, olhares.
 É simplesmente loucura pensar, que as coisas nunca iriam melhorar. Que o tempo só ilude e não cicatriza feridas e que, sempre a mesma opção é a certa. Foi loucura minha pensar que Deus tinha me abandonado e que nada mais tinha jeito. Na verdade tudo é sempre uma grande loucura. A loucura da vida, dos sentimentos, da pressão, da personalidade, do novo, da saudade. Estranho é o resumo de tudo, você só tem que aprender a lidar com isso do seu jeito. E nem que demore, um dia chegaremos lá.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Sonhos, por enquanto.

 Um dia meus sonhos terão outro gosto, outra forma. Quem sabe um dia meus sonhos serão maiores pois já realizei tudo o que eu queria realizar...
 Será que um dia eu terei orgulho de olhar para trás e ver que valeu a pena tudo o que eu fiz? Será que um dia eu terei o suspiro do alívio, da vitória, da paz?
 Será que daqui algum tempo meus sonhos serão os mesmos? Porque as coisas vão perdendo a importância conforme os dias passam, as nossas prioridades se tornam outras.
 Nunca pensei à respeito sobre o preço dos meus sonhos, nem a intensidade deles, muito menos se eu serei capaz de realiza-los. Na verdade, eu fico indecisa no meio de tantos sonhos. Às vezes eu não sei nem em qual sonho eu estou, se é uma mistura de todos eles, ou se eu realmente sonho com alguma coisa. São sonhos simples, pequenos ou complexos que formam praticamente uma Aurora Boreal na minha mente.
 Sei que não poderei realizar todos, ou pelo menos realizarei um de cada vez. Espero que nem o dia mais nublado e chuvoso acabe com o brilho dentro de mim e que, nem que eu passe dias debaixo das cobertas esperando o sol aparecer novamente, a esperança e a fé em mim mesma não desapareça, assim como os que descobrimos que não são tão confiáveis nessa hora.
 Que a capacidade de sonhar alto e ainda mais de lutar pelos meus sonhos nunca me deixe. É isso o que eu desejo a mim mesma.
 Porque ninguém é perfeito, mas todos sabem alguma coisa perfeitamente. Não importa o quão insignificante isso seja.
 Todos são especiais e únicos, só temos que encontrar os fogos de artifício dentro de nós e deixa-los brilhar da forma mais única e livre possível. Só temos que acreditar e aproveitar as chances que a vida nos dá deixando esse medo de viver de lado.
 Isso é tudo o que eu desejo para mim, e para você também.


terça-feira, 5 de julho de 2011

À solucionar.

 Adoro escrever com lápis coloridos. Luto constantemente para não ser normal. Não me importaria se um dia ganhasse flores, desde que venha com um coração quente e pulsante de brinde. Reparo em sorrisos. Fico tentando decifrar pessoas. Tenho mania de ver carinhas em carros. Se pudesse, passaria noite em claro vendo as estrelas. Necessito de doses diárias de abraços e música. Amo surpresas. Vivo de unhas coloridas. Gosto de dormir no final da tarde com o pôr do sol batendo no meu rosto. Fico sem graça quando cantam parabéns para mim, fico vermelha quando sou muito elogiada. Ando mais torto quando tento impressionar, acho que tenho medo de alturas muito grandes. Os brinquedos mais divertidos são os que viram de ponta cabeça, as histórias mais legais são as de ação, suspense... Romance. Não vivo sem pimenta, tomate-cereja, bolo, água. Um dia vou ter todos os episódios de Friends. Espero aprender a tocar algum instrumento um dia, e a andar de salto alto sem parecer que carrego dez quilos em cada pé. Ainda vou casar com um chinelo Havaianas e ter vários Havaianinhas. Passei a ter um medo mortal e exagerado de insetos de uma hora para outra. Escrevo 80% com o coração e 20% com a cabeça. Me sinto o máximo na hora de dormir porque meu cabelo sempre fica bonito. Algumas pessoas acham que eu falo engraçado. Não gosto do que é clichê. Devo ter uns 60% de audição (se eu estiver concentrada ou assistindo alguma coisa, não se estresse se eu não te ouvir. Não é de propósito).
 Prefiro o básico. Não dispenso o glamour. Adoro inventar. Me acho A cozinheira por conseguir fazer uns meros docinhos. Sou desligada na maioria dos dias. Fico sem graça quando vou pedir coisas ou agradecer favores. Suspeito ter uma espécie de "aminésia-recente", pois me lembro de coisas antigas e esqueço o que fiz ontem. Sou totalmente contraditória. Não sei se acredito no amor. Antes tinha medo das pessoas pessoas, agora tenho medo do mundo.
 Verde água e azul hortência são minhas cores preferidas. Me sinto culpada quando brigo com as pessoas mesmo estando certa. Meu humor varia com a cor do céu. Não sei o que vou querer ser quando crescer, acreditar em sonhos como uma criança já está bom para começo. Eu tinha certeza e achava que sabia de tudo, agora não sei de mais nada. Tento entender a vida e o mundo, na verdade a mim mesma. E só me complico cada vez mais. Talvez quando eu crescer, eu decifre esse real mistério.