sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Grandíssimos filhos da puta.


 Desculpe-me o termo, perdão pela falta de educação, mas é que existem momentos na vida que não existem melhores palavras para expressar os nossos sentimentos.
 O meu estômago revira de tanta inconformação, ou não, talvez seja só fome. O resultado disso tudo não afeta o meu estômago, afeta o meu físico, o meu coração, a minha mente, na verdade todo o resto. Esse é o meu maior - talvez até o único - ponto fraco.
 No meu mundo onde eu sou a rainha, mando matar mentirosos e quem pratica a injustiça, já que nesse muita gente se dá bem assim. Grandíssimos filhos da puta. Só isso que tenho a dizer.
 Mas o pior nesse mundo, talvez não seja esse tipo de gente que faz coisas não tão boas e sim quem é ignorante o bastante para acreditar em palavras falsas tão sem fundamento como a própria pessoa. São pessoas que se deixam afundar pela ignorância, que vedam seus próprios olhos para poder enxergar só o que lhe convém. 
 Quando será que eu vou aprender e seguir os conselhos da minha mãe? "Bonzinho só se fode" ela sempre diz, e eu continuo me importando com as pessoas.
 Quebro a cara mais uma vez, com esses filhos da puta metidos a espertos que se aproveitam da ingenuidade alheia. Nada descreveria o que eu sinto agora, nem as palavras mais chucras, afinal, palavrões também são uma forma de desabafo.
 Jamais acredite no tipo de pessoa que acha que consegue o mundo, porque pessoas assim, facilmente acabam com o seu mundo para chegar onde querem.
 A verdade é que todos nós somos uns filhos da puta, sem levar a palavra ao pé da letra, por favor. Mas todos nós somos, e somos mesmo até sem querer. Porque sempre vai ter um filho da puta pra te transformar em um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário