quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Gosto de computadores

 Acho que foi a melhor invenção do homem essa coisinha aqui, que transforma distância em apenas detalhe, esconde ou revela nossos mais profundos sentimentos, camufla nossas lágrimas com uma simples carinha feliz. Talvez seja a maior mentira, ou a passagem para se dizer as verdades, talvez afaste os que estão perto e traga para perto os que estão longe, ou só junte ainda mais os que estão do nosso lado. Nos ajuda a resolver problemas, não nos abandona quando mais nos sentimos sozinhos, ou nos faz sentir ainda mais sozinhos do que já estamos. Facilita a idéia de se expressar, une pessoas diferentes, mas é traiçoeiro e pode nos passar para trás muitas vezes.
 A melhor coisa de estar conectado, é saber que existe milhões de pessoas a espera de algo que possa os entreter, do mesmo jeito que você. Nos ajuda nos problemas, nos trabalhos, na vida.
 Mas se for parar pensar, que se dane o computador! O que importa mesmo são as pessoas que estão por trás deles, que nos trazem alegria muitas vezes e que podem acabar com ela também. A maior arma e especialidade do computador é que as pessoas que estão atrás da tela jamais saberão como você está realmente a não ser que você diga, e mesmo se disser, o computador não conseguirá transmitir todo o nosso conjunto de emoções. Nem as palavras bonitas, nem as imagens em alta definição, nem os vídeos mais bem feitos conseguião um dia demonstrar o que se passa dentro de cada um de nós, a máquina mais perfeita existente na face da terra.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Sem voz

 É esse sentimento de desespero o meu maior medo de voltar. Acho que não me assusta tanto a perda, o sofrimento, a solidão ou as lágrimas que não cabem mais no meu olhar. O meu maior medo é que esse sentimento de desespero tome conta de mim de novo, que esse sentimento horrivel assombre o meu coração.
 São filmes que sou obrigada a ver que me assustam mais que tudo, que causam efeito multiplicado dos filmes de terror. Pode ter certeza, é muito pior.
 A coisa mais ruim é não poder esconder sua fragilidade das pessoas que você mais quer parecer forte. Essas malditas lágrimas que brotam toda vez que falo, mandarei para o deserto até secar. Mesmo minhas mãos percorrendo as linhas numa loucura constante eu não tenho voz, não tenho expressão, não tinha o que fazer, não tenho nada. Não posso fazer coisa alguma porque eu também participei disso, eu também tenho culpa.
 Talvez toda a culpa seja minha, talvez se eu aceitasse melhor essa hipocrisia toda como o resto do mundo as coisas fossem diferentes.
 Perdão por não ser assim, perdão por não conseguir me segurar, por ser tão ingênua ao ponto enjoativo. Perdão. Por não ser como vocês queriam, por não seguir os padrões.
 Não me importo se vocês me esquecerem porque eu sou impotente, não posso fazer nada a respeito. Eu sou assim.