quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Gosto de computadores

 Acho que foi a melhor invenção do homem essa coisinha aqui, que transforma distância em apenas detalhe, esconde ou revela nossos mais profundos sentimentos, camufla nossas lágrimas com uma simples carinha feliz. Talvez seja a maior mentira, ou a passagem para se dizer as verdades, talvez afaste os que estão perto e traga para perto os que estão longe, ou só junte ainda mais os que estão do nosso lado. Nos ajuda a resolver problemas, não nos abandona quando mais nos sentimos sozinhos, ou nos faz sentir ainda mais sozinhos do que já estamos. Facilita a idéia de se expressar, une pessoas diferentes, mas é traiçoeiro e pode nos passar para trás muitas vezes.
 A melhor coisa de estar conectado, é saber que existe milhões de pessoas a espera de algo que possa os entreter, do mesmo jeito que você. Nos ajuda nos problemas, nos trabalhos, na vida.
 Mas se for parar pensar, que se dane o computador! O que importa mesmo são as pessoas que estão por trás deles, que nos trazem alegria muitas vezes e que podem acabar com ela também. A maior arma e especialidade do computador é que as pessoas que estão atrás da tela jamais saberão como você está realmente a não ser que você diga, e mesmo se disser, o computador não conseguirá transmitir todo o nosso conjunto de emoções. Nem as palavras bonitas, nem as imagens em alta definição, nem os vídeos mais bem feitos conseguião um dia demonstrar o que se passa dentro de cada um de nós, a máquina mais perfeita existente na face da terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário