sábado, 3 de dezembro de 2011

Sem voz

 É esse sentimento de desespero o meu maior medo de voltar. Acho que não me assusta tanto a perda, o sofrimento, a solidão ou as lágrimas que não cabem mais no meu olhar. O meu maior medo é que esse sentimento de desespero tome conta de mim de novo, que esse sentimento horrivel assombre o meu coração.
 São filmes que sou obrigada a ver que me assustam mais que tudo, que causam efeito multiplicado dos filmes de terror. Pode ter certeza, é muito pior.
 A coisa mais ruim é não poder esconder sua fragilidade das pessoas que você mais quer parecer forte. Essas malditas lágrimas que brotam toda vez que falo, mandarei para o deserto até secar. Mesmo minhas mãos percorrendo as linhas numa loucura constante eu não tenho voz, não tenho expressão, não tinha o que fazer, não tenho nada. Não posso fazer coisa alguma porque eu também participei disso, eu também tenho culpa.
 Talvez toda a culpa seja minha, talvez se eu aceitasse melhor essa hipocrisia toda como o resto do mundo as coisas fossem diferentes.
 Perdão por não ser assim, perdão por não conseguir me segurar, por ser tão ingênua ao ponto enjoativo. Perdão. Por não ser como vocês queriam, por não seguir os padrões.
 Não me importo se vocês me esquecerem porque eu sou impotente, não posso fazer nada a respeito. Eu sou assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário