quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Inspiração


 Eu não consigo ouvir nada lá fora, meu corpo criou um escudo para me proteger de coisas que se eu ouvisse me deixaria ainda pior. Nesse momento só sinto as batidas do meu coração e ouço o ritmo da minha minha respiração. Estou tão vazia que até o escuro é bem-vindo, até o silêncio é uma boa companhia, é uma solidão tão recorrente que se torna normal e quando ela chega, nem precisa bater na porta. Vem devastadora de sua longa viagem e sempre traz lágrimas embrulhadas no papel de presente como lembranças. Os presentes só são para mim pois ela me adora, até porque, ninguém percebe quando ela vem me visitar.
 Gosto quando junto com ela vem a inspiração, o que só acontece quando ela chega muito de repente e sem previsão de partida. Quando isso acontece, até as musicas que sempre me fazem companhia tem que ser banidas do meu mundo, pois elas já não são suficientes para expressar os sentimentos que essas duas me trazem.
 Não vou dizer que gosto delas, quer dizer, talvez. Eu gosto desse tipo de inspiração mas não gosto que me leva a te-la, então começo a acreditar no ditado " há males que vem para o bem" pois essa talvez seja minha única opção, acreditar que todo esse vazio seja o preço de uma possível felicidade e que esse aperto no peito se transforme em coloridas borboletas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário