quarta-feira, 30 de maio de 2012

Piscina de vidro


Eu não sei o que acontece, nem o que se passa, se tiver passado. Sei apenas dos meus sonhos e do ritmo do meu coração, se é que me resta um. Está vendo, eu não sei de mais nada, não sei que caminho seguir, o que fazer, que rumo tomar, em quem confiar. Você levou toda a minha confiança, minha auto estima, tudo o que eu tinha, e nem olhou pra trás para ver o que sobrou. Isso é o mais triste, saber que uma pessoa que uma vez disse que te amava, hoje não sei importa mais com você.
 Como será que é, ser o tudo de alguém num dia e nada no outro? Olha, é a pior sensação do mundo, posso te afirmar por experiência própria.
 É como se jogar de cabeça numa piscina de vidro, você vê alguém, mas na realidade só há você ali. Você cai, e não existe ninguém pra te salvar. Você levanta com um sorriso no rosto e mentaliza que nada aconteceu, assim as pessoas também irão acreditar no seu sorriso falso e no "tá tudo bem""não aconteceu nada" "é só sono". Finge que não rachou a cabeça, que seu coração não ficou lá nos cacos de vidro, que você não tem cicatrizes, e repete aquela frase bem alto pra se auto lembrar "vaso ruim não quebra", e segue com a festa, dançando no ritmo para não se ver perdida outra vez. Pois nessa festa, o que mais tem é curiosos querendo ver as suas cicatrizes, gente que sente prazer em ver como você ficou torta após a queda e, são pra essas pessoas que a gente deve juntar todos os cacos de vidro que nos machucaram e transforma-los em sorrisos, porque com gente fracassada a gente acaba simples assim, mostrando que independente dos tombos, dos cortes, dos caminhos incertos que nos fazem tropeçar e sair do salto, somos bons de mais pra deixar coisas tão insignificantes roubarem a nossa felicidade. Posso ter mais mil quedas na piscina de vidro, posso ficar mais torta e mais problemática a cada dia, mas uma coisa eu jamais deixarei que tirem de mim pois é o mais precioso que tenho a oferecer a quem merece, e esse é o meu sorriso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário