quarta-feira, 23 de maio de 2012

Tudo o que levou a nada



 Sinto a minha garganta seca, a música atrapalha meus pensamentos, estou cansada também, emocionalmente. Não sei o que mereço, nem do que sou capaz, não sei se a irritação é só por causa da rinite ou por quê sinto um cheiro estranho no ar. O que foi que aconteceu? Não era eu que tinha dificuldade de falar? Me faça esse favor, diga. Não preciso entender, só preciso sentir.
 Do que você precisa? Me diz. Eu levanto daqui agora e preparo, me viro, dou um jeito para você. Um bolo saindo do forno? Ou as estrelas? Pessoas novas? Ou é só do amor que você precisa? Porque se for isso me fala, eu já disse. Ou não disse, mas dei a entender, que seja.
 Estou dolorida, isso porquê eu dormi a tarde inteira. E sonhei com você sabe, sonhei que você estava aqui. Sonhei? Ou só fui dormir desejando que você estivesse aqui? Não adianta tentar enganar você mesma, sua besta. E dormir não é o suficiente ouviu, uma hora você vai ter que acordar, enfrentar a realidade e não tem o que fazer. É mais fácil tentar ajeitar a realidade não é? Mas o ser humano é assim, acomodado com tudo. E quando penso que tudo não faz mais sentido, foco minha mente no pensamento que ninguém precisa saber que penso estar sozinha e que o importante é quem está ao meu lado, não o vazio que eu sinto por perceber que só metade de você me acompanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário