quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Palavras transcritas

 
 Foram-se embora. Levaram consigo as histórias, os sentimentos, as emoções, as minha lágrimas, o meu coração, as músicas, a calma, tudo o que há de mais profundo enfim foi-se para algum lugar... Quando? Eu nem me lembro mais.
   Foi-se embora a minha essência. Tanta coisa a acompanhava que surpreendeu-me ter cabido tudo em uma bagagem só. Me deixou a poesia, a ternura, o lado bom da vida, para quem sabe, quando, voltará?
   Já não sou mais eu. O eu, escrevia. E quem será que escreve agora disfarçado de mim? Estava com saudade de me reconhecer, assim, nas entrelinhas de um caderno abandonado, no meio da noite, sem motivo real nenhum, sem cobranças e regras, sem sentimentos também.
   Talvez eu tenha deixado tudo, tudo ir embora, escorrer pelas minhas mãos sem perceber e, agora, quando me deparo num momento repentino de lucidez para analisar a mim mesma, desconheço quem sou.
   Ter medo de que? De me tornar alguém que eu não suportaria? Maybe. Pior é o medo de não deixar marcado esses devaneios pois eles, sim, mostram realmente quem sou. Assim exponho meus medos e até, meu inconsciente; Sendo possível me auto-conhecer a cada vez que me leio.
   Desse modo, é por isso que me levanto a essa hora da madrugada, às vésperas de prova, para me certificar de que, mesmo que as palavras, estas mesmas que aqui escrevo, não me abandonaram por completo.
   Por incrível que pareça para mim mesma, ainda resta um pouco de quem eu sou, ainda há resquícios de mim dentro dessa casca; Esqueço-me pois estou perdida, assim, como perdi as palavras há tempos atrás.
   É isso! Elas não me abandonaram, eu é que as deixei partir.

domingo, 22 de setembro de 2013

poema modernista

Quem diria bem pouco
imagens de little
o portal que se abre
e o grilo.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Lei da atração

   


Chega, para, rebobina a fita. Mentira, rebobina não. Rebobina mais nada, só vive o presente, interpreta o futuro. Passado não importa mais. Está na hora de eu mandar nessa fita, quem escolhe os personagens sou eu e o que acontece na história cabe à minha decisão.
     Este livro será baseado em pensamentos positivos e energias boas, e, agora sou eu quem faço o papel de sol. Talvez algum dia eu devolva o cargo, mas enquanto o dono não está presente quem manda aqui sou eu.
    Só existirá bom-humor, bom sonhos, boas pessoas, boas conquistas, boa alma, boa saúde, bom coração, boas amizades, tudo de bom. Não há mais espaço para nada além disso, aliás, nem sei mais como se chama o antônimo de bom. 
     Flores, paz, borboletas, troféus, sorrisos, mar, céu, lagoas cristalinas, peixes, estrelas, abraços, beijos, cafuné, rede, olhares, corações, livros, música, sabe essas coisas boas? Então, esse será o cenário do livro que virará filme, que na verdade é releitura da vida.
     Transformar tudo o que é negro, negativo, em luz, poesia, calor humano, liberdade. Fazer da mente o mais valioso tesouro onde tudo é possível e devo agradecer pois aqui, criatividade não falta.
     Parei de trabalhar, porém, continuo sendo chefiada. Quem comanda este livro, este filme, esta vida agoro sou eu, em parceria com a minha mente e com a ajuda do universo.
    

domingo, 18 de agosto de 2013

Pitoco

   Sou um poquitinho de pessoa. Um poquitinho legal, um poquitinho inteligente, um pinguinho bonita... Um pouco pequena, às vezes faminta, bem pouquinho sonolenta, de paciência escassa. Tenho um tantinho de unha, outro tanto de cabelo, um pouquinho de doçura e o mínimo de amargura. Como um bocadinho, leio um tantinho e rio parcamente. Deixo sair besteiras bagatelas, não sinto muito e falo menos ainda. Estou brincando um pouco, sendo insuficientemente feliz, dormindo o mínimo, estudando pouquíiiissimo! Te ouço brevemente, presto minguada atenção. Ansiosa e estressada acanhada, exagerada só um tanto. Um mínimo que toma conta de mim.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

segunda-feira, 22 de julho de 2013

ô sol, bateu saudade

    

 E aqui estou eu com a voz embargada de novo, com as lagrimas passando dos limites e transbordando pelos meus olhos, com o coração vazio, com a mente cheia, com as mãos precisando trabalhar, com o corpo pedindo pra morrer.
     Com o tempo essa agonia momentânea passa mais rápido, os pensamentos tornam-se outros, fazemos novos amigos, conversamos com outras pessoas, frequentamos novos lugares e talvez, sentimos outras coisas.
     Contudo não vim pedir para não me esquecer - sei que é inevitável - mas por favor, seja feliz. Se não for por você, por mim, essa pessoa que te abre o coração agora, se é que eu ainda valho alguma coisa. Seja feliz de verdade, com todas as suas forças, com toda a coragem que você tem, seja feliz de uma maneira que eu nunca conseguirei ser sem você, encontre a pessoa que possa fazer isso por mim já que eu não posso estar aí.
     Continue seguindo os seus sonhos, desejo que você não tenha medo, leve a sintonia do piano e do violão para onde for e não deixe a sua bicicleta de lado. Não abandone os livros como eu fiz, não abandone a vida, nem seus amigos. Não abandone você mesmo.
     Purifique o ar de São Paulo com o seu humor, construa um castelo com cheiro de infância e depois, se quiser, venha me visitar. Pode ser com a desculpa mais ridícula, não precisa trazer nada além de você,  quem sabe a gente se esbarra por aí.
     Só seja feliz por favor, não me faça morrer por você também. Um dia, quem sabe você possa me ressuscitar com seu alvará de médico e quem sabe eu possa lembrar e só ficar feliz, não chorar. Quem sabe? Nunca se sabe. Ninguém sabe. O que se sabe.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

2 de Junho

  





 Simplesmente deixei o dia passar pois não presto mais atenção no calendário. Perdi a noção do tempo, das horas, perdi a noção de mim, de você... Perdi as idéias, perdi a mão das palavras, perdi o coração e sendo assim, perdi os textos também. 
   Eu lembrei do dia, não pense que passou em vão e, por isso me recusei a dar um passo sequer. Se não fosse para me encontrar com você, sentado em qualquer lugar, com qualquer roupa, em qualquer banco, com qualquer cara deslavada eu não levantaria. E assim foi feito.
   Fiquei o domingo inteiro lembrando de tudo o que eu passei todo esse tempo jogando para de baixo do tapete, fingindo que era feliz. Chorei, chorei mesmo, e dai? Senti sua falta também, estava pensando em você quando vi sua foto de imagem magra, e até doeu o coração.
   Queria escrever mais, queria conseguir te descrever, queria sentir o abraço, o seu cheiro outra vez ou colocar em palavras a cor líquida que tem os seus olhos ao sol. Queria dizer também como fui estúpida aquele dia e te peço perdão por isso, me arrependo por ter perdido tanto tempo, por só perceber seu valor muito tempo depois, por não ter aproveitado o sol ao máximo enquanto ele era meu. Queria dizer tanta coisa, mas você foi embora e as minhas palavras foram escondidas na sua mala, o que eu posso fazer?!
   Ouvi aquela música bonita que a gente cantou junto esses dias, e percebi que deveria ter dado mais importância à letra, assim como pra você. Me desculpe se sou retardatária em assuntos como esse. Deixei as lágrimas caírem novamente e cantei como se não houvesse amanhã, tinha que seguir a música pelo menos uma vez na vida, mesmo que fosse tarde. Só não me joguei da janela do quinto andar porque moro no terceiro.
   Só queria contar para você e deixar claro pra mim mesma que ainda existem lembranças apesar de tudo, mas agora as minhas lágrimas não queimam mais. Só de vez em quando. Porém, não sei se isso é bom ou ruim. E a saudade aperta; Não menos, nem as vezes, sinto falta das conversas, de alguém me entender, de rir de verdade, todos os dias. Você foi o único que, eu acho, chegou até o fim entende?! O único que pude ser eu. Mas tudo bem.
   Começo a pensar que não foram só minhas palavras que entraram na sua mala, peguei um livro para ler esses dias e não me interessei, na verdade, não me interesso por muita coisa mais. Quando te escrevi meio torto que sem você tudo no mundo perdia a graça eu não estava mentindo, até dormir ultimamente tem me irritado, olha que absurdo! Sonhei com você noites seguidas e, geralmente eu logo encontro as pessoas com que sonhei; acordei frustrada por saber que não te veria tão cedo aliás, se é que algum dia voltarei a te ver.
   Fui praí um dia desses.  Minha loucura era tão grande que eu te projetei em cada canto daquelas ruas, via narizes igual ao seu, enxergava você em todas as pessoas, temi ser vista dormindo no carro, ou no meu estado crítico desleixado, até esbarrei em você sem querer na minha imaginação.
   Há 365 dias atrás, estava eu com meus docinhos de uva, falando do meu ex idiota para um cara que não significava nada para mim. Hoje, por incrível que pareça eu falo desse cara insignificante de 365 dias atrás com a maior das dores possíveis no peito por ter deixado ele, se tornar parte do meu passado.


quarta-feira, 13 de março de 2013

Lembranças

    Acho que nem é mais saudade, é necessidade. Foi um pedaço de mim que ficou para trás, o pedaço mais importante, um pedaço do meu coração. Me pergunto como pôde não me esquecer - se não esqueceu - mesmo eu lembrando todos os dias. 
     Não sou mais eu, essa é uma cópia fajuta da minha alma, uma cópia que não chega nem perto da original. Acho que esqueci minha essência em algum abraço, algum boné, em alguma mensagem, algum sorriso que roubou toda a minha atenção.
    As minhas lágrimas secaram ou será que já usei a minha cota anual? Descobri que pessoas não são substituíveis, pois não existem pessoas iguais. E pode acreditar, os interiores daqui são muito menos lapidados do que o de vocês. Estou sentindo a falta daquele brilho, aquilo que me aquecia, pois as pessoas daqui são frias de mais.
    Vou comprar um violão, na verdade, vou fechar os olhos e mentalizar um aqui comigo, para tentar assim, me sentir viva de novo. Será que a gente poderia se encontrar para devolver-me a minha alma? Se um vento forte bater aqui, eu caio, de tão oca que estou.
    Então por favor, não me esqueça, me abrace mentalmente e guarde só boas lembranças minhas, me mande vibrações positivas e "bom desempenho" pois eu preciso disso. Necessito sentir o formigamento na pele, assim, saberei que pensa em mim.
    Estou perdendo os ensinamentos da vida, ou não, mas pouco me importa. A existência não tem muito significado quando se está vazio por dentro.
    As coisas complicam e eu não tenho onde me agarrar, me sinto num abismo que lentamente me puxa para baixo e se diverte com  a minha agonia. Me encontro em um estado tão crítico, que me junto ao abismo e me divirto com ele, me misturo no breu e tiro sarro da minha própria tristeza.
     Só espero que seja verdadeiro, que seja tão forte ao ponto de superar qualquer corpo desprovido de alma e coração, e que, não desistamos. Pois meu peito dói toda vez que lembro que tive que te deixar ir, e procuro de todas as formas me agarrar em lembranças enquanto caio. Eu só preciso que você se lembre. Lembre-se que eu estou aqui.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Acordei

     Dormi porque quis, acordei porque não tive escolha e chorei sem querer, sem nem saber o porquê; ou talvez eu até saiba, mas prefiro fugir do pensamento que me massacra. 
     Tirei as forças para escrever de algum lugar secreto, mentira, eu apenas lembrei de você. Agora você é minha inspiração, quando vai deixar de ser? Quer dizer, quando vai deixar de ser esse tipo de inspiração, esse tipo de lembrança?
      Meu corpo rejeita o riso, parece que é errado ser feliz, é errado achar graça de um mundo que se tornou monótono sem você. Eu estou tentando evitar uma tragédia, é assim que tem que ser, eu não me conformo.
      As palavras não saem mais de mim, estou tão vazia que tenho que ser outra, deixei meu eu em algum lugar. Dentro de mim só restou estômago e lágrima; parece que nem meu coração tem força pra pulsar. Na verdade acho que ele está na parte do meu corpo que virou lágrima e assim ele escorre a cada vez que bate.
     A minha mente virou estômago, meu estômago virou uma pedra e agora eu sou uma arte abstrata que nem eu, a própria artista criadora da obra, entendo. Virei um zumbi ambulante, fazendo apenas o que a obrigação me impõe; ser feliz é uma obrigação social, porém, como isso está fora do meu alcance, finjo. 
     Finjo descaradamente, se, negar nenhum sorriso. Minha arte agora é a mentira - arte esta que sempre desprezei - mas acredito que mentiras só são erradas quando prejudicam alguém, e nesse caso a única prejudicada sou eu, e eu não tenho forças para me importar.
     Tenho vontade de vomitar meu coração todos os dias, vontade de vomitar a minha vida todas as manhãs e vontade de vomitar minhas lágrimas toda noite, mas isso não importa. 
      Ocupo meu tempo com o máximo que posso para esquecer dessa dor frequente que acompanha meu peito, para que nos momentos de solidão, eu possa deixar tudo fluir. Detesto chorar, mas as vezes é preciso. Detesto amar algumas coisas também, mas as vezes, fugir é impossível.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O pior

   Você conseguiu ser o pior deles, pode acreditar... Conseguiu estragar até desenho animado, tirou o sabor da coisa mais doce do mundo, fez noite se transformar em dia e meu peito sufocar sem nem saber por quê. Roubou meus pensamentos, mudou a decoração do meu quarto, o meu estilo musical, o meu jeito de falar... Virou minha vida inteira de ponta cabeça em tempo recorde, tomou minha cidade. Sem duvida, voce foi o pior.
   Eu preferiria continuar do jeito que estava, no fundo do poço chegando ao subterrâneo se eu soubesse como seria meu final. Acontece em questão de segundos, uma palavra, uma musica, um cheiro, um filme, uma roupa, um livro, um lugar ou talvez eu mesma; olha aonde foi parar o problema, eu consigo te enxergar em mim. Pior, pior, pior.
   Te odeio. Some daqui. Não quero te ver nunca mais! E era tudo brincadeira, acredita?! Besta eu, devia ter acreditado. Ta, não me farei de vitima, eu quis isso. Mas por que? Quando eu disse que era complexa de mais você entendeu como um desafio, por que não foi até o fim? Até hoje eu não entendi se fomos medrosos ou corajosos de mais. O que torna você ainda pior.
   Você é o pior por ter chegado sem pedir licença, por ter bagunçado tudo me fazendo gostar disso, pelo seu egocentrismo, pelo seu bendito nariz, pela falta de noção da força que tinha, por causa das suas frescuras e manias, por saber tocar só Aquela musica no piano, ter um corte de cabelo horrível, nao ter juízo nenhum - é tão dificil atravessar na faixa? - pelo seu orgulho e por esse olho esquisito.
   Você conseguiu se tornar o pior porque além de ser o mais problemático, só me trouxe lembranças boas e foi embora sem me deixar um resquício de magoa pra eu poder transformar em raiva e tornar tudo mais fácil de esquecer, ao contrario, me deixou com dor no coração por ser de alguma forma, culpa minha também; Você sempre será o pior por não ter me dado motivos pra te odiar e desejar a sua morte. 
   Você conseguiu superar as expectativas do que é ser pior, porque você me fez chorar sem ter feito nada de errado pra que isso acontecesse. Acho que de todos, os que passaram e os que ainda estão por vir você sempre será o pior, pelo simples fato de ter ido embora e eu nao conseguir te odiar.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Depressão

   É como se fosse um carma que te da a impressão que vai segui-lo para o resto da vida, um peso que vive nas suas costas e te atormenta em todos os momentos; você tenta viver, tenta se livrar, tenta pelo menos encobrir com alguma coisa, mas está sempre lá fazendo peso no seu coração para te lembrar a cada instante do seu sofrimento.
   Quando a noite chega ele fica na sua cama para te deixar desconfortável, para você sentir que seu lugar não é ali. Te perturba, traz lembranças, insônia e te joga de um lado para o outro como se fosse um fantoche. De dia, a cada palavra, musica, movimento ou gesto, puxa o seu coração para um poço sem fundo e te arranca as palavras.
   Você deseja que passe, que caia no esquecimento, que tudo acabe, mas esse sentimento penetra na sua alma e tira toda a sua vontade de tudo. O sorriso muda, as palavras são repetidas, o olhar fica vazio como sempre e a vontade de viver guardada em algum lugar; poucas são as vezes que tudo clareia e até parece que nada aconteceu. 
   Ninguém entende, ninguém quer ouvir porque ninguém liga, as pessoas só querem estar melhor do que você. Não importa o seu sofrimento, o seu momento de amor pelo escuro e pela solidão, a partir do momento que você se recusa a sair para se divertir como todo mundo, você é chato.
   O tempo não para, as pessoas não param de viver por você, o mundo não para de girar e quanto mais demora a recuperação mais chato você se torna. Vivemos num tempo onde quem sofre é dramático, quem se importa é idiota e não ter ressentimentos de alguém que foi embora da sua vida é burrice.
   Nos dias de hoje as festas, bebidas e beijos sem emoção tem mais valor do que muita coisa, então não há tempo para sentimentos - depois não venham reclamar - e todos fingem que são felizes sendo que no fundo todos sofrem as mesmas coisas, achando que todo o resto é ignorante e avoado demais para perceber alguma coisa. 
   Acontece que os chatos da vida como eu percebem e você aí, se achando "a pica das galáxias" por saber aproveitar mais a vida do que eu e olha só, nós estamos no mesmo barco. Eu, dando um tempo para me abastecer com os melhores sentimentos possíveis para encarar a vida novamente e você, guardando rancores no fundo do baú para não precisar encara-la.