quinta-feira, 14 de abril de 2016

É facílimo

   Eu queria cair no sono tão fácil quanto a gente é. Eu queria entender as coisas tão fácil quanto as piadas surgem. Queria que a vida fosse tão fácil quanto decidir entre espeto de morango e comida japonesa. E conversar tão fácil com o mundo inteiro, do mesmo jeito que eu faço 11 horas seguidas no telefone. 
   Eu queria que as pessoas fossem mais fáceis. Que as contas tivessem resoluções mais simples e a maldade fosse fácil de contornar. Que o "ir embora" fosse fácil de sentir.  Que o preconceito fosse fácil de tirar da humanidade e que os beijos fossem tão fáceis quanto roubar açaí. 
   Eu queria que a guerra fosse fácil de ser contornada e, não me importaria se fosse fácil para mim media-las. Queria aprender tudo tão fácil quanto aprendo bordões e colocar em prática uma personalidade que não é minha, tão fácil quanto aprendi a ser você. Aliás, eu queria que isso tivesse sido mais, eu queria ser fácil. 
   Eu queria que a felicidade fosse tão fácil quanto um pedaço de bolo. Que os abraços fossem facilitados por placas e que o amor não precisasse delas. Eu queria ter relações mais fáceis como essa; Que existissem pessoas mais fáceis de lidar, de falar, de ouvir, de irritar, de cuidar, de acostumar... 
   Por fim, eu queira entender o que tem de tão errado em ser fácil. O fácil é bom, é pratico, autêntico e eu gosto disso. Do simples. Do descomplicado. Do easy. O fácil é tão simples quanto falar aiaiai. Quem me dera se as coisas fossem tão fáceis assim.  

sábado, 2 de abril de 2016

Recado para a vida

  Olha vida, precisamos ter uma conversa. Essa história de ficar me testando, colocando meu humor a prova, meus nervos à flor da pele, deixando a angústia tomar conta de mim para depois me dar um abracinho, é sacanagem! Quem disse que você pode brincar com as pessoas assim? Minha cara, você usa e abusa do poder que tem nas mãos...
  Estimada, queria te dizer que a senhora anda brincando de mais. As suas surpresas atacam o meu coração e agradeça por ele ser bem saudável - pois já não sei a onde eu estaria se não fosse. No entanto, lhe agradeço. Reclamo das surpresas para não perder o hábito, para não te acostumar mal, mas estou plenamente feliz com as voltas que você deu comigo (talvez não precisasse de tantas, mas tudo bem).
   Digo isso pois sou o tipo de pessoa simplória que tem um leve preconceito em relação à complicações, talvez por isso essa minha dificuldade e receio de entendê-la, mas mesmo assim, lhe agradeço. Agradeço por me ensinar - nem que seja de maneira forçada - que embora a paciência e o pensamento positivo não sejam naturais da minha personalidade, eles são amigos, são irmãos, são essenciais.
  Agradeço por não ter desistido dos meus sonhos, vida, e não ter me deixado desistir também. Alias, esse é o motivo pelo qual te escrevo. Meu coração, minha mente, meu corpo, minha alma, minha auto-estima e até as gotas de água que formam meu corpo te agradecem. Prometo dar mais atenção para você agora. Agradeço por ter entendido o motivo da minha breve (ou não tão breve assim) ausência.
  Nossa vida, acho engraçado como nunca estou preparada para seus loopings e provocações após quase duas décadas de convivência, como você me leva até o meu limite, ou me faz descobrir que ele está além do que eu posso imaginar e mesmo assim, como posso estima-la tanto. 
   Enfim, querida vida, agradeço mais uma vez por me envolver em sentimentos bons e paz, por todas as oportunidades, companhias e até pelos choros e noites mal dormidas, pois sem eles, eu não seria tão grata a você agora. No entanto, confesso que jamais te entenderei e talvez, continue duvidando dos seus motivos. Mas uma coisa eu garanto, eu nunca deixarei de te amar, vida.